Almeida, Marvão, Valença e Elvas entregam em dezembro à UNESCO candidatura das Fortalezas Abaluartadas

Os municípios de Almeida, Marvão, Valença e Elvas vão entregar em Dezembro a candidatura conjunta das Fortalezas Abaluartadas da Raia a Património Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). «A última reunião que tivemos com o presidente da UNESCO em Portugal foi nesse sentido, de que iríamos apresentar a candidatura a meio [do mês] de Dezembro», disse hoje à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal de Almeida, António José Machado.
O autarca, que falava em Ciudad Rodrigo, Espanha, à margem do IV Encontro de Conjuntos Históricos de Castela e Leão, referiu que o documento a entregar na presidência portuguesa da UNESCO já contém «justificação do valor» e o «plano de gestão do bem». António José Machado explicou que a candidatura foi iniciada pelos municípios de Valença, Almeida, Marvão e Elvas, mas é aberta a outros municípios da fronteira de Portugal e Espanha, que poderão associar-se após a aprovação pela UNESCO. Por isso, o autarca fez hoje o convite ao Ayuntamiento de Ciudad Rodrigo (Espanha), para que, numa fase posterior, «possa entrar na candidatura». O responsável adiantou ainda que após a avaliação da comissão portuguesa da UNESCO, o processo será avaliado em Paris, na sede daquele organismo.
Segundo o autarca, os quatro municípios promotores acreditam que a candidatura conjunta das Fortalezas Abaluartadas da Raia tem «um âmbito tal» que justifica a sua classificação como Património Mundial.
No caso de Almeida, António José Machado disse à Lusa que, quando tal acontecer, será um momento de «afirmação do território».
Ainda de acordo com o autarca, no âmbito do projecto de candidatura vai ser criada uma associação que irá ter sede em Almeida, no Centro de Estudos de Arquitectura Militar.
Em 2016, os municípios de Almeida, Marvão, Valença e Elvas entregaram na Comissão Nacional da UNESCO, em Lisboa, a ficha de inscrição das Fortalezas Abaluartadas da Raia na Lista Indicativa de Portugal a Património Mundial.
O património abrangido na candidatura abarca «exemplares únicos da arquitectura militar dos séculos XVII e XVIII, a par do valor intangível da paz e do relacionamento entre os povos».
Naquela data, as autarquias envolvidas no processo justificaram que com a integração do património de Elvas (declarado Património Mundial em 2012) nesta candidatura, a mesma ganhava «uma nova consistência, através do contributo de Almeida, Marvão e Valença, exemplares excepcionais que, em conjunto, definem um sentido universal do génio humano, na sua dimensão tangível e intangível». As autarquias comprometeram-se «a prosseguir os esforços para o sucesso da conclusão do processo de classificação pela UNESCO, como Património Mundial, da Série Internacional dos Bens das “Fortalezas Abaluartadas da Raia”».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close