Beiras e Serra da Estrela candidatou-se a 62,5 ME de fundos comunitários

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) anunciou hoje que nos últimos seis meses apresentou candidaturas a fundos comunitários no valor global de 62,5 milhões de euros. O presidente da CIM-BSE, Paulo Fernandes, que também preside à Câmara Municipal do Fundão, adiantou hoje em conferência de imprensa realizada na sede daquele órgão, na cidade da Guarda, que as candidaturas naquele valor foram apresentadas a fontes de financiamento exteriores ao Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial que tem associado o montante global de 44 milhões de euros.
O dirigente adiantou que as candidaturas foram apresentadas nas componentes de regeneração urbana (48 milhões de euros), turismo de natureza (sete milhões de euros) e na área da inovação e competitividade (sete milhões de euros).
Segundo Paulo Fernandes, o valor das candidaturas “representa uma vez e meia mais do valor da componente do Pacto [para o Desenvolvimento e Coesão Territorial]” da CIM-BSE.
“A nossa dinâmica, a nossa estratégia, é diversificar ao máximo as fontes” de financiamento que não encontraram recursos no Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial, justificou.
O autarca lembrou ainda que no âmbito daquele documento, com o valor global de 44 milhões de euros, já “abriram” medidas “na casa dos 24 milhões de euros” e, desses, a direcção da CIM-BSE colocou em execução “5,6 milhões de euros, o que equivale a 25% das medidas que abriram” nos avisos do Portugal 2020.
No encontro com os jornalistas, Paulo Fernandes reafirmou a necessidade de serem aplicadas “medidas correctivas” em relação aos fundos comunitários direccionados para os territórios de baixa densidade, referindo que “os 10% não são mesmo suficientes”.
“Está na altura de criar o cronograma para os próximos dois anos para que os nossos empresários se preparem atempadamente para os avisos específicos para a nossa região”, observou ainda.
O responsável defendeu também uma “diferenciação fiscal” em matéria de IRC (Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas), IRS (Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares) e IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado) para os territórios de baixa densidade, considerando que as regiões do interior “têm que ser vistas quase como antigamente, como zonas francas”.
A CIM-BSE é constituída por 12 municípios do distrito da Guarda (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e por três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close