Câmara da Guarda avança com obras de despoluição dos rios Diz e Noéme

A Câmara Municipal da Guarda inicia na próxima semana a primeira fase das obras de despoluição dos rios Diz e Noéme, um investimento de um milhão de euros, anunciou ontem o presidente da autarquia, Álvaro Amaro, adiantando que o projecto é executado no âmbito do plano de obras de reabilitação e valorização dos ecossistemas ribeirinhos após os incêndios de 2017.
“É uma verdadeira revolução, ainda que tranquila, em termos do bem-estar, em termos de melhor qualidade de vida, porquanto se inicia aqui o trabalho que eu, há dois anos, disse que era uma cruzada minha: despoluir os rios Diz e Noéme”, disse o presidente da Câmara da Guarda aos jornalistas.
Para Álvaro Amaro, a despoluição dos dois cursos de água também pode representar “um ponto de atracção, ou pontos de atracção” da ruralidade do concelho. “Vão iniciar-se as obras muito em breve e este investimento tem que estar concluído até 20 de Dezembro”, revelou, indicando que se segue uma segunda fase do projecto relacionada com “toda a renaturalização” dos dois rios.
No entanto, o autarca alertou que o município não pode “estar a fazer este investimento e continuar com índices de poluição”, referindo que o tratamento dos efluentes domésticos “tem que ser feito de modo a que os rios sejam límpidos, transparentes e com vida”.
Pedro Teiga, técnico da equipa contratada pela autarquia da Guarda para elaborar o projecto e fazer o seu acompanhamento técnico, explicou que a intervenção vai ter “várias componentes”.
Uma das componentes está relacionada com as estruturas hidráulicas e contempla a valorização de pontes, pontões e açudes.
Segundo este responsável, na primeira fase da intervenção serão também realizadas empreitadas “mais florestais, mais de reabilitação da parte da galeria ribeirinha” e a possibilidade da criação de “um trilho ecológico de manutenção, ao longo principalmente do rio Noéme, para permitir a valorização” de todo o espaço ribeirinho.
Pedro Teiga adiantou que o projecto prevê “quilómetros de intervenção”, mas alertou que “não é o rio [Noéme] todo em contínuo”.
“Ao longo do Noéme é praticamente todo o rio, mas, depois, inclui outras ribeiras, como a Ribeira das Cabras, pontos no rio Diz e pontos ao longo do curso de água, onde chegam uma parte das cinzas e dos problemas de erosão” originados pelos incêndios, disse.
A despoluição dos dois cursos de água foi anunciada pelo presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, em 27 de Novembro de 2016, na sessão solene comemorativa do Dia da Cidade. O rio Diz é um afluente do rio Noéme e este corre para o rio Côa e atravessa várias localidades dos concelhos de Guarda, Sabugal e Almeida, no distrito da Guarda.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close