Comunidade das Beiras e Serra da Estrela debate acessos à Torre em dias de neve

Para abordar a temática dos acessos ao maciço central, que costumam ficar intransitáveis com a queda de neve, a Assembleia da Comu-nidade Intermu-nicipal das Beiras e Serra da Estrela agendou para o próximo dia 9 um debate para o ponto mais alto de Portugal continental.

A Assembleia da Comunidade Inter-municipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) vai promover um debate no ponto mais alto da Serra da Estrela, a Torre, para abordar a temática dos acessos em dias de neve.
O debate, agendado para o próximo dia 9, às 10:00, para o auditório da Torre, foi convocado para procurar dar respostas para a questão dos acessos ao maciço central da Serra da Estrela, que costumam ficar intransitáveis com a queda de neve e originam «consequências para a imagem e economia da região».
O presidente da Assembleia da CIM-BSE, Mário Jorge Branquinho, disse à agência Lusa que decidiu marcar o debate para o ponto mais alto de Portugal continental porque «é lá que está o problema, que se arrasta há décadas – que é a dificuldade de acessos quando cai neve». «Com as alterações climáticas, tem diminuído de forma acentuada a queda de neve na Serra da Estrela, mas, mesmo assim, sempre que cai neve, são cortados os acessos ao maciço central, impedindo o acesso das pessoas àquele ponto», refere.
O responsável lembra que naquela serra «está a única estância de esqui em Portugal e que, por isso, importa desencadear mecanismos para que as pessoas possam chegar lá quando neva e não apenas quando não há neve». «Importa perceber o que pode ser feito, mantendo obviamente as questões de segurança», disse.
O actual estado da situação, a avaliar pelas queixas de comerciantes e de hoteleiros, «traz consequências negativas» para a economia da região e é «uma má imagem para o turismo». «O governo [liderado por António Costa] não pode continuar como os outros governos, sem dizer nada, sem intervir», aponta também o dirigente, salientando a importância do debate sobre o tema «para ver se esta questão dos acessos à Torre não constitui parte do anedotário português, como já se tem visto em algumas rábulas da “stand up comedy” em Portugal: ‘Nevou? Vai fechar a estrada!».
O tema é discutido no Verão por o responsável considerar que os assuntos «devem ser debatidos fora das épocas críticas». «Por isso, depois da época dos flagelos dos fogos, é oportuno ver o que pode ser feito para melhorar a intervenção no frio, na limpeza da neve», justifica.
A Assembleia da CIM-BSE considera que a jornada será «de elevada importância e uma oportunidade para juntar vários intervenientes e procurar respostas para um problema que prevalece há várias décadas e com consequências para a imagem e economia da região».
O ministro das Infra-estruturas de Portugal, Pedro Marques, foi convidado a participar no debate, tal como os deputados eleitos pelos distritos da Guarda e de Castelo Branco, os autarcas, os empresários e os responsáveis por entidades relacionadas com a temática.
A CIM-BSE, com sede na Guarda, é constituída por 12 municípios do distrito da Guarda (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Mêda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e por três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close