Criminalidade geral aumenta com destaque para Lisboa, Guarda, Santarém e Madeira

A criminalidade participada às forças e serviços de segurança subiu 3,3% em 2017 face ao ano anterior, sendo os distritos da Guarda, Santarém e Lisboa e a Região Autónoma da Madeira os que registaram os maiores aumentos.
O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2017, hoje entregue na Assembleia da República, indica que o número total de participações criminais registadas pelos oito órgãos de polícia criminal foi de 341.950, mais 11.078 do que em 2016, correspondendo a um aumento de 3,3%.
Para este resultado contribuiu a subida verificada nos crimes de contrafação falsificação de moeda (mais 264,1%), outras burlas (+47,9%), incêndio fogo posto em floresta (+27,8%) furto em edifício comercial/industrial sem arrombamento escalamento ou chaves falsas (+7,3%) e furto em veículo motorizado (+6,1%).
O RASI refere que o crime de furto, nas diversas formas, continua a ser o crime mais participado às forças e serviços de segurança.
O mesmo relatório dá conta de uma descida em 2017 relativamente ao ano anterior dos crimes de furto em residência com arrombamento, escalamento ou chave falsa (-14,4%), furto de veiculo motorizado (-1,1%) e condução de veículo com taxa de álcool igual ou superior a 1,2 gramas por litro no sangue (-4,8%).
O documento destaca os aumentos nos distritos da Guarda (6,7%), Santarém (6,6%) e Lisboa (6,2%), bem como a Região Autónoma da Madeira (6,7%). Em sentido oposto, Coimbra foi o distrito com maior redução da criminalidade participada (-5,3%).
Já os distritos de Lisboa, Porto, Setúbal, Faro, Braga e Aveiro registaram a maior incidência de participações, representado 70,5% de toda a criminalidade participada.
Segundo o RASI, a criminalidade violenta e grave diminuiu 8,7% no ano passado, em relação a 2016, enquanto os crimes gerais aumentaram 3,3%.
O relatório reúne os indicadores de criminalidade registados pela Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança Pública, Polícia Judiciária, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Polícia Marítima, Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, Autoridade Tributária e Aduaneira e Polícia Judiciária Militar.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close