Eduardo Lourenço candidato ao prémio FIL de Literatura em Línguas Românicas

O escritor Eduardo Lourenço é um dos candidatos ao Prémio FIL de Literatura em Línguas Românicas, a ser entregue na Feira do Livro de Guadalajara, no México, que este ano tem Portugal como país convidado, foi hoje anunciado.
A candidatura de Eduardo Lourenço, em 2018, ao prémio é uma iniciativa da Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), em parceria com Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e com a Fundação Calouste Gulbenkian. O prémio será entregue por ocasião da Feira Internacional do Livro (FIL) de Guadalajara, que este ano tem Portugal como país convidado de honra.
A candidatura de Eduardo Lourenço foi apoiada pelo colombiano Jerónimo Pizarro, especialista em Fernando Pessoa e em literatura portuguesa, que, na sua carta de apoio, considera que “não há outro ensaísta que tenha pensado tão a fundo toda a cultura portuguesa e que tenha feito desse pensamento continuo a sua vida”.
Jerónimo Pizarro assinala que apenas com 20 anos, já Eduardo Lourenço era “um jovem crítico que queria entender todas as manifestações e idiossincrasias do seu tempo e do seu mundo que, ao longo dos anos, se foi expandindo em todas as latitudes”.
O professor da Universidade de Los Andes, onde é titular da cátedra de Estudo Portugueses, recorda que Eduardo Lourenço reflecte permanentemente, em profundidade e com ironia, sobre tudo o que o rodeia, sobre aquilo que lê e o que escuta. “Se muitos o vêem como um sábio, é porque tem a candura de uma criança aliada a um conhecimento muito vasto, pelo qual gosta de se mover, como ensaísta, com total liberdade. Lourenço representa a mais alta liberdade de espírito e da palavra, e é um símbolo para todos aqueles que crêem nas artes e na necessidade da crítica”, afirma.
Eduardo Lourenço, natural de São Pedro do Rio Seco (concelho de Almeida), é director honorífico do Centro de Estudos Ibéricos, professor de Cultura Portuguesa em várias universidades estrangeiras, autor de numerosas obras de relevância internacional, traduzido em inúmeros países, e uma das mais características personalidades da cultura portuguesa.
“O Labirinto da Saudade: Psicanálise Mítica do Destino Português”, “Nós e a Europa ou as Duas Razões”, “Pessoa Revisitado” e “Fernando Rei da Nossa Baviera” são exemplos de obras em que “a sua inteligência e agudeza de espírito se encontram lado a lado com uma paixão por tudo aquilo que é português no seu sentido mais amplo”, descreve a DGLAB. “A sua noção de liberdade, a ironia com que aborda os assuntos mais sérios, a lucidez patente no que escreve e no que diz, fazem de Eduardo Lourenço uma das maiores autoridades morais no Portugal de hoje”, acrescenta.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close