GNR da Guarda entrega 900 peças de vestuário e calçado a instituições sociais

O Comando Territorial da GNR da Guarda procedeu hoje à entrega, a seis instituições de solidariedade social da região, de 900 peças de vestuário e de calçado que foram apreendidas em acções de fiscalização.

As peças oferecidas às instituições foram apreendidas pela GNR, por contrafacção, no decorrer da actividade operacional desenvolvida pelo Comando Territorial da Guarda e, por decisão judicial, foram declaradas perdidas a favor do Estado.

Uma vez mais, a GNR optou por entregá-las a instituições de solidariedade social, reconhecendo que a ação «assume especial relevância numa altura em que se verifica o aumento das dificuldades provocadas pela situação da pandemia covid-19». «É um esforço que nós [GNR] fazemos, também, pela altura em que vivemos. Fazemo-lo sempre, mas fazemos um esforço acrescido nesta altura, porque temos noção que, no geral, as dificuldades aumentaram em virtude do contexto pandémico em que vivemos. E, por isso, fazemos questão de ter sempre algum material que possamos entregar a quem mais precisa», disse aos jornalistas o capitão Tiago Fernandes, oficial de Comunicação e Relações Públicas do Comando Territorial da GNR da Guarda.

Segundo o capitão, a iniciativa de entregar peças a instituições do distrito da Guarda «já decorre há vários anos» e contemplou a distribuição de «vários milhares». «E, por exemplo, no ano passado foram entregues mais de 4.700 peças de vestuário. E, portanto, se não tivessem sido entregues, teriam sido destruídas», observou.

Desta vez, a iniciativa solidária da GNR da Guarda contemplou a Associação dos Amigos do Floco (Sabugal), a Associação dos Amigos da Irmã Wilson (Trancoso), o Lar Residencial Obra de Nossa Senhora das Candeias (Pinhel), a Escola Evaristo Nogueira (São Romão, Seia), a ASTA – Associação Sócio Terapêutica de Almeida e a Caritas Diocesana da Guarda.

José Silva, da Associação dos Amigos da Irmã Wilson, de Trancoso, referiu aos jornalistas que a instituição ajuda famílias com dificuldades económicas com distribuição de roupas e de alimentos. Segundo o responsável da associação que apoia actualmente 44 famílias, com a oferta da GNR as pessoas que necessitam de ajuda «ficam contentes». José Silva acrescentou tratar-se de uma ajuda «preciosa», que surge numa época de dificuldades acrescidas devido à pandemia por covid-19.

Fátima Neves, voluntária da Associação dos Amigos do Floco, com sede no Sabugal, referiu aos jornalistas que a colectividade recebeu a oferta da GNR com satisfação, dado que apoia 25 famílias carenciadas. A associação foi contemplada pela primeira vez e a responsável considera que o gesto é «muito bom». A distribuição dos artigos de vestuário e de calçado hoje recebidos vai ser feito pelos voluntários da associação junto das famílias que já estão a ser seguidas neste momento. «Sabemos as idades de cada um deles, das crianças, dos adultos, dividimos consoante as famílias e vamos distribuir nós próprios, a cada casa das famílias», explicou. A Associação dos Amigos do Floco está a «conseguir ajudar toda a gente» que tem dificuldades, referiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close