Jovens da Guarda aprovaram recomendações a apresentar na Assembleia da República

Os jovens deputados do Círculo da Guarda vão recomendar à Assembleia da República (AR) a «promoção de um programa educacional que dissemine os valores éticos do respeito e da igualdade, uma cultura de não violência nas escolas ministrado, com carácter obrigatório, desde o pré-escolar até ao ensino secundário».

A «criação de grupos de foco nas escolas, que seriam acompanhados por equipas multidisciplinares, constituídos por uma assistente social, um educador social, um psicólogo e um animador sociocultural, por agrupamento escolar» é uma das medidas defendidas.

O objectivo é «criar debates, utilizar modelos de referência de histórias de sucesso e acompanhar e sinalizar jovens em contexto de violência doméstica», lê-se no Projecto de Recomendação que o distrito da Guarda irá defender na Sessão Nacional do Secundário do Parlamento dos Jovens, agendada para dias 14 e 15 de Junho, sobre o tema “Violência doméstica e no namoro: como garantir o respeito e a igualdade?”, aprovado na Sessão Distrital realizada Terça-feira da semana passada na Guarda.

Outra das recomendações é a «alteração da legislação existente referente à violência doméstica e no namoro para que os crimes tenham um tratamento igualitário aos crimes ocorridos fora deste âmbito».

O Círculo da Guarda será representado na Sessão Nacional pelos deputados Rodrigo Sousa e Margarida Rodrigues, da Escola Básica e Secundária de Fornos de Algodres, Mariana Fernandes e Henrique Goulart, da Escola Secundária Gonçalo Anes Bandarra (Trancoso), e Leonel Lucas e Francisco Afonso, da Escola Básica e Secundária Tenente-Coronel Adão Carrapatoso (Vila Nova de Foz Côa).

Como suplentes foram eleitos os deputados Tiago Simões e Gabriel Dias, da Escola Secundária de Gouveia, e Joana Ramos e Pedro Gil, da Escola Secundária Afonso de Albuquerque (Guarda).

O tema proposto em nome do Círculo da Guarda à Comissão Parlamentar de Educação e Ciência para debate no próximo ano lectivo é “Racismo e Homofobia”.

O programa Parlamento dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República, dirigida aos jovens dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário, de escolas do ensino público, privado e cooperativo. A Assembleia da República, através da Equipa Parlamento dos Jovens, assegura a coordenação geral da execução do programa, em parceria com outras entidades, entre as quais o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

No distrito da Guarda, o Parlamento dos Jovens, revela a Direcção Regional do Centro em nota à imprensa, envolveu «em todas as suas fases 17 escolas, 3273 eleitores inscritos, 2099 votantes, 25 listas e 72 turmas».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close