Juramento de Hipócrates na Covilhã e alertas ao Governo para a Saúde no Interior

A Covilhã recebe amanhã a cerimónia do Juramento de Hipócrates, que ocorre nesta cidade pela primeira vez, num exemplo de descentralização que também visa alertar o Governo para as necessidades dos cuidados de saúde no Interior do país.
«Há aqui mais uma oportunidade para os jovens médicos fazerem o seu juramento, porque temos mais um local que acolhe esta cerimónia e é também uma mensagem muito importante que queremos passar relativamente à necessidade de descentralizar os cuidados e de os doentes do Interior terem exactamente as mesmas condições de acesso à saúde que há no Litoral ou nas cidades onde há grandes hospitais», referiu, em declarações à agência Lusa, Carlos Cortes, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, entidade que promove esta cerimónia em colaboração com a Faculdade de Ciências da Saúde (FCS) da Universidade da Beira Interior (UBI).
Especificando que está prevista a participação de 80 jovens médicos, Carlos Cortes também salientou que a «vontade expressa» da FCS da UBI e dos estudantes foi a principal razão para levar este acto até esta cidade do distrito de Castelo Branco.
«Não podíamos ignorar essa vontade e entendemos que era o momento para haver mais um local em Portugal onde os jovens médicos pudessem fazer este juramento», referiu, depois de especificar que a Covilhã passa a ser o quinto local do país onde esta cerimónia decorre e que isso é para manter nos próximos anos.
Simbolicamente, na Covilhã, o acto foi marcado exactamente no dia em que a Ordem dos Médicos assinala o 80.º aniversário e numa altura em que os problemas na Saúde são uma preocupação constante, com especial incidência no Interior. «Com esta cerimónia, a Ordem do Médicos também está a dar um passo, está a dar um exemplo para deixar uma mensagem muito importante na esperança de que o poder político perceba que é preciso olhar para o Interior. Queremos chamar a atenção para os problemas do Interior, dos hospitais do Interior e dos doentes do Interior».
Sem que a ministra da Saúde tenha até agora respondido ao convite para estar presente, a Secção Regional do Centro também espera que com este exemplo esteja a deixar um alerta para questões como a falta de recursos humanos nos hospitais do Interior, a falta de meios, a necessidade de fixação de mais médicos ou de uma maior atenção aos doentes que se mantém em zonas menos povoadas.
«Muitas vezes, o poder político esquece. Esquece que a Covilhã tem doentes, que a Guarda tem doentes e não faz a aposta que devia ser feita nesses hospitais. Há uma falta de cuidar dos hospitais, de cuidar dos centros de saúde que eu espero que, também com este passo, a senhora ministra da Saúde comece a ver», apontou.
O Juramento de Hipócrates é o compromisso solene que tradicionalmente os jovens médicos assumem no fim da formação e imediatamente antes de começarem a exercer a profissão. Na Covilhã, a cerimónia decorre no Grande Auditório da FCS da UBI, com início marcado para as 10:00. No final, serão entregues a cédula profissional e um alfinete de lapela com o símbolo da Ordem dos Médicos. A leitura do texto do juramento culminará este acto solene.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close