Ministra lamenta perda de «uma das mentes mais brilhantes» do país

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou hoje a morte do ensaísta Eduardo Lourenço, que classificou de «uma das mentes mais brilhantes deste país». «Não posso deixar de lamentar profundamente a morte de Eduardo Lourenço, uma das mentes mais brilhantes deste país», disse Graça Fonseca, numa mensagem enviada à agência Lusa.

A ministra acrescentou que «Eduardo Lourenço foi um pensador, arguto e sensível como poucos, e incansável combatente do caos dos dias».

O ensaísta Eduardo Lourenço, de 97 anos, morreu hoje em Lisboa. Professor, filósofo, escritor, crítico literário, ensaísta, interventor cívico, várias vezes galardoado e distinguido, Eduardo Lourenço foi um dos pensadores mais proeminentes da cultura portuguesa. Eduardo Lourenço Faria nasceu em 23 de Maio de 1923, em S. Pedro do Rio Seco, no concelho de Almeida, distrito da Guarda.

A criação do Centro de Estudos Ibéricos (CEI) na Guarda surgiu da ideia de Eduardo Lourenço que, por ocasião das comemorações do oitavo centenário da cidade, a 27 de Novembro de 1999, propôs a criação de um Centro de Estudos que contribuísse para um renovado conhecimento das diversas culturas da Península e para o estudo da civilização ibérica como um todo. O CEI viria a ser criado, em Maio de 2001, pelo Município da Guarda e por três instituições de Ensino Superior (Universidade de Coimbra, Universidade de Salamanca e Instituto Politécnico da Guarda).

No dia em que festejou 85 anos, Eduardo Lourenço ofereceu três mil livros à Biblioteca que ostenta o seu nome.

“O Labirinto da Saudade”, “Fernando, Rei da Nossa Baviera”, “Os Militares e o Poder” são algumas das suas principas obras. Recebeu o Prémio Camões (1996), o Prémio Virgílio Ferreira (2001) e o Prémio Pessoa (2011).

Era Grande Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada, de que também possuía a Grã-Cruz, assim como da Ordem do Infante D. Henrique e da Ordem da Liberdade. Era Oficial da Ordem Nacional do Mérito, Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras e da Legião de Honra de França.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close