Rotunda da Avenida de S. Miguel (Guarda) vai ter locomotiva a vapor

A rotunda do cruzamento da Avenida de S. Miguel com a Avenida da Estação, a chamada rotunda do Polis Guarda, vai ter uma locomotiva a vapor, concretamente a “CP 294 de 1913”, e respectivo “tender” (vagão reboque), que serão cedidos em regime de comodato, pela Fundação do Museu Nacional Ferroviário (FMNF). O acordo foi aprovado na passada Segunda-feira pelo executivo municipal.

O presidente da autarquia, Carlos Chaves Monteiro, informou que a Câmara não pagará nada pela locomotiva a não ser o transporte até à Guarda, a sua requalificação e a colocação na rotunda. A estimativa de custos apresentada pela FMNF para o restauro da locomotiva e o “tender” ronda os 21 mil e 660 euros. O autarca espera que seja para breve a sua concretização.

Recorde-se que inicialmente estava prevista uma locomotiva a carvão (CP 1505), idêntica à que está instalada em Vilar Fomoso, mas foi destinada para outra autarquia. Posteriormente foi colocada a hipótese de ser uma diesel (CP 1453), mas saiu gorada essa solução. Agora, surge a possibilidade ser colocada uma locomotiva a vapor datada de 1913. O autarca já tinha dado essa informação numa recente reunião da Assembleia Municipal e, na passada Segunda-feira, a proposta viria a ser aprovada. A cedência da locomotiva vigora pelo prazo de 20 anos, a contar da data da assinatura do acordo, sendo automaticamente renovável por períodos de cinco anos.

Carlos Chaves Monteiro assegura que a autarquia só tem que assumir a deslocação do Barreiro para a Guarda, a sua requalificação e colocação na rotunda. Para além disso, o Município assume o compromisso das despesas de manutenção e conservação da máquina.

Como é referido no acordo, o projecto de restauro da locomotiva é da responsabilidade da FMNF mas a autarquia fica obrigada a adquirir «os serviços necessários» à sua execução. De acordo com a estimativa de custos apresentada pela FMNF, o restauro da locomotiva ultrapassará os 13.800 euros, enquanto que o “tender” ascende os 7.700 euros. No total serão cerca de 21.600 euros.

«O restauro do conjunto Locomotiva + Tender poderá ser feito em simultâneo ou separadamente, consoante os recursos materiais e humanos disponíveis», refere a Fundação, embora defenda que é «mais vantajoso» que «a intervenção seja simultânea nos dois veículos pois os procedimentos são basicamente os mesmos e o prazo de execução será obviamente menor».

A FMNF acrescenta que «a locomotiva e o tender poderão ser alvo de intervenção simultânea por equipas e em locais diferentes, sendo necessário um elevado número de meios humanos e materiais para que este trabalho seja concluído num prazo máximo de 6 meses».

A rotunda onde será colocada a locomotiva custou aos cofres do município cerca de 350 mil euros, tendo a obra sido adjudicada à empresa António Saraiva e Filhos em Janeiro de 2018. A intervenção englobou o arranjo das zonas envolventes e da plataforma central, onde será colocada a locomotiva.

De acordo com o site “www.trainlogistic.com/pt/”, a «locomotiva 294 – Construção HENSCHEL – 1913 foi adquirida pelos CFE Divisão SSE com o nº 204» mas «com a integração na CP, em 1931 foi renumerada 1204 e em 1952 foi renumerada 294».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close