Santuário da Senhora da Alagoa, em Argomil, Pinhel, recebe este fim-de-semana milhares de romeiros

O santuário da Senhora da Alagoa, em Argomil, Pinhel, vai receber este fim-de-semana milhares de romeiros de toda a Beira Interior nas festas centenárias que remontam ao século XVII. Do programa destaca-se, no sábado, pelas 13:00, a eucaristia, presidida pelo bispo da Guarda, Manuel Felício, seguida de procissão.
Nossa Senhora da Alagoa costuma atrair àquela localidade do concelho de Pinhel «verdadeiras multidões de devotos tanto de Pinhel como da Guarda, nos dias da festa». A Diocese da Guarda refere que na base da edificação da Igreja em seu louvor está uma lenda que fala de uma pequena pastora e de uma imagem da Virgem que a ajudou a sair de aflitiva situação, após ter caído à lagoa. «Depois de o pároco de Pera do Moço ter confirmado a veracidade da história, a imagem foi conduzida para aquela aldeia, só que desapareceu misteriosamente, vindo a ser encontrada no primitivo lugar», refere a Diocese na sua webpage.
«Linda pastorinha apascentava o seu rebanho quando, numa tarde de quente e seco estio, a sede martirizava o gado e a sua guardadora. Naquela situação de extremo sofrimento, a pastorinha implorou a intervenção de Nossa Senhora, de quem era fervorosa devota», lê-se na página oficial da Associação Amigos Nossa Senhora da Alagoa. «Ouviu a Senhora a sua prece – prossegue –, apareceu e fez com o próprio joelho uma pequena pia numa rocha e com o dedo mindinho traçou um sulco no fundo dessa santa pia e logo ele brotou abundantemente água pura e cristalina. Saciaram-se a pastora e as ovelhas, e a notícia do milagre corre célere nas redondezas, tendo ocorrido ao local grandes multidões, que logo decidiram erigir uma ermida dedicada a Nossa Senhora».
«Escolhido o sítio apropriado, deu-se o início às fundações, mas o proprietário do terreno, que também era o dono do rebanho, impediu a construção, alegando que precisava da terra para aí fazer uma horta. Nossa Senhora, lá do Céu, ofendida com tal heresia, fez com que o terreno fosse alagado para sempre, jamais podendo ser utilizado para cultivo. A ermida foi construída noutro local, onde ainda hoje permanece, com a invocação de Nossa Senhora da Alagoa», reza a lenda.Em 2006 foi encontrado um painel de frescos na parede do altar-mor do santuário de Nossa Senhora da Alagoa

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close