Simpósio de Arte Contemporânea da Guarda presta homenagem a João Cutileiro

A Guarda vai receber, de 01 a 18 de Junho, o II Simpósio Internacional de Arte Contemporânea Cidade da Guarda (SIAC) que contará com 120 artistas e vai incluir uma homenagem a João Cutileiro. O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, disse ontem na conferência de imprensa de apresentação do evento que o mesmo contará com a participação de 120 criadores de 15 países e, quando terminar, a cidade ficará com mais nove esculturas que serão produzidas por alguns dos artistas participantes.
O autarca destacou que durante o evento será prestada homenagem ao escultor e ceramista João Cutileiro, pelos seus 80 anos, com várias iniciativas, incluindo, no dia 01 de Junho, a inauguração da exposição “80 anos, 80 desenhos” e o lançamento do vinho “Altium João Cutileiro”, produzido pela Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo.
Segundo a organização, o SIAC inclui arte ao vivo, ateliês de pintura, escultura, serigrafia, exposições, oficinas de poesia visual, instalações, colóquios, palestras, recitais de poesia, apresentação de livros, um ciclo de cinema, documentários, música, ‘urban art’, entre outras actividades.
Nas iniciativas de pintura ao vivo participam os artistas Valentina Gregoric (Itália), Dorthe Botker (Dinamarca), Mariola Landowska (Polónia), Júlio Cunha (Portugal), Philippe Amirault (França), Vando Figueiredo (Brasil), Fiel dos Santos (Moçambique) e Jorge Gumbe (Angola).
Na escultura ao vivo, estão anunciadas as participações de Kei Nakamura (Japão), Nils Hansen (Alemanha), Masa Paunovic (Sérvia), Alexey Kanis (Rússia), David Leger (França), Elena Saracino (Itália), Pedro Figueiredo (Portugal), José Ignácio (Espanha) e Milena Tavena (Bulgária).
O programa também inclui, entre outros momentos, as exposições “No fio da Navalha”, de Susana Piteira, “Portas a Compostela”, de Manuel Facal, “Yoniverse ou universo enquanto útero”, de Vítor Roque, e “30 anos de pintura II”, de Irene Gomes.
A segunda edição do SIAC, como referiu Victor Amaral, vereador com o pelouro da cultura do Município da Guarda, é a consolidação de uma marca que dá «maior atractividade» e «maior visibilidade» à cidade da Guarda no campo da arte contemporânea. «É um simpósio para democratizar o acesso à arte contemporânea», disse o autarca, assumindo que o evento possui este ano «um reforço de qualidade e um reforço de quantidade de artistas» quando comparado com o do ano anterior.
O evento cultural é organizado pela Câmara Municipal da Guarda e o seu museu, com o apoio da Universidade da Beira Interior, da Universidade de Salamanca (Espanha) e do Instituto Politécnico da Guarda.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close