Câmara da Guarda aumenta em 30 por cento o apoio aos bombeiros do concelho em ano eleitoral

No próximo ano as três corporações de bombeiros do concelho da Guarda vão receber da Câmara Municipal um total de 68.250 euros. O valor representa um aumento de 30 por cento relativamente a este ano, como realçou o presidente da Câmara, Álvaro Amaro, no dia em que foi entregue a última tranche do apoio de 2016. O autarca explicou, no início da reunião de Câmara realizada logo após a sessão de entrega do cheque, que em 2017 a primeira parte do apoio será entregue em Março e segunda parte será antecipada para Julho para evitar que o resultado eleitoral condicione o que está definido. «Não queremos que nada fique dependente do resultado eleitoral», disse o autarca ao executivo. Amaro realçou ainda que a autarquia vai comparticipar a construção do quartel de Bombeiros de Famalicão da Serra, garantindo que as restantes corporações poderão contar com o apoio da Câmara para resolver problemas similares. O Orçamento da Câmara para 2017 prevê ainda uma verba de 70 mil euros para suportar o funcionamento da Equipa de Intervenção Permanente (EIP), tal como prevê um acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil através do qual os salários são assegurados pelas duas entidades.
Em 2016, as três corporações de bombeiros do concelho da Guarda receberam um total de 52.500 euros. Os voluntários da Guarda receberam 34.170 euros, os de Gonçalo 10.316 e Famalicão da Serra 8 mil euros. Para a distribuição da verba a autarquia definiu critérios como as respectivas áreas de intervenção, o número de ocorrências, a população abrangida, o parque de viaturas e o corpo activo e comando. A cada um dos critérios foi atribuída uma percentagem.
Recorde-se que o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Egitanienses, da Guarda, Luís Borges, tem defendido a necessidade da legislação incluir uma contribuição municipal para garantir a sustentabilidade financeira das associações com regras para todo o país. «Só deste modo se evitariam as recorrentes situações de divergência entre os municípios e as associações humanitárias quanto a verbas transferidas como comparticipação tantas vezes geradoras de conflitos institucionais», sublinhou em Agosto no aniversário da corporação aproveitando a presença do secretário de Estado da Administração Interna.
Recorde-se que a Associação manteve um diferendo com a Câmara Municipal da Guarda nos últimos anos devido à suspensão da transferência de verbas. O actual executivo retomou a atribuição da contribuição financeira no ano passado atribuindo 17.500 às três corporações o concelho. Este ano o valor foi triplicado, sendo atribuído 34.170 aos bombeiros da Guarda, 10.316 aos de Gonçalo e oito mil para Famalicão da Serra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close