Aguiar da Beira é o município do distrito com melhor Índice de Transparência

O Município de Aguiar da Beira está na 12ª posição do Índice de Transparência Municipal (ITM) elaborado pela Transparência e Integridade, Associação Cívica. Bem distante está a Guarda, que surge na 252ª posição. A Câmara Municipal de Alfândega da Fé é uma constante nos primeiros lugares da tabela desde 2013 e em 2016 renovou a liderança que já obtivera em 2015.
guiar da Beira é o município do distrito da Guarda mais bem posicionado no “ranking” de 2016 do Índice de Transparência Municipal (ITM) elaborado pela Transparência e Integridade, Associação Cívica (TIAC), representante portuguesa da ONG anti-corrupção Transparency International. Aquela autarquia encontra-se na 12ª posição, com o valor de 93,68, tendo subido 13 lugares no ranking, comparativamente a 2015. Bem distante está a Guarda, que surge na 252ª posição (tendo subido 39 lugares compara-tivamente a 2015), com 34,89.
A Câmara Municipal de Alfândega da Fé é uma constante nos primeiros lugares da tabela desde 2013 e em 2016 renovou a liderança que já obtivera em 2015, tendo desta vez conseguido 100 pontos. Completam os dez lugares mais bem classificados Carregal do Sal (98,21 pontos), Águeda (97,80), Arcos de Valdevez (97,39), Vila Nova de Cerveira (97,39), Pombal (97,12), Vila Pouca de Aguiar (96,70), Ponte da Barca (96,29), Valongo (96,29) e Cartaxo (94,92). Seguem-se Lousada (93,82) e Aguiar da Beira (93,68).
O ITM baseia-se na verificação dos websites dos 308 municípios, listando se cada indicador está ou não presente nos respectivos websites. As sete grandes áreas analisadas são: informação sobre a organização, composição e funcionamento do município; planos e relatórios; impostos, taxas, tarifas, preços e regulamentos; relação com a sociedade; contratação pública; trans-parência económico-financeira e transparência na área do urbanismo.
No ranking nacional, Sabugal foi o município do distrito que mais lugares subiu, tendo passado do 188 para o 88, uma diferença de 70 posições. Por seu lado, Manteigas foi o que mais desceu (de 195 passou para 235, uma diferença de 40 lugares), seguindo-se Pinhel (de 189 para 225, menos 36 lugares) e Celorico da Beira (de 249 para 274, menos 25 lugares). Quantos aos restantes municípios do distrito ficaram assim colocados: Almeida (223º, antes 211º), Figueira de Castelo Rodrigo (291º, antes 273º), Fornos de Algodres (305º, antes 300º), Gouveia (215º, antes 228º), Meda (276º, antes 266º), Seia (213º, antes 194º), Trancoso (254º, antes 240º) e Vila Nova de Foz Côa (231º, antes 250º).
De acordo com João Paulo Batalha, da TIAC, o dado mais relevante do estudo relativo a 2016 é «o ganho significativo, em termos médios, da pontuação das câmaras municipais, que têm feito um esforço continuado para melhorar a pontuação desde a publicação do Índice pela primeira vez, em 2013».
Em 2016, os municípios obtiveram, em média, 52 pontos numa escala de zero a 100, a primeira vez que a média ultrapassa os 50 pontos, mais 8 pontos em relação à média de 44 pontos obtida no ano anterior.«Mesmo no “top-10”, os municípios que estão mais bem classificados estão todos acima dos 90 pontos e, portanto, houve também nos primeiros classifi-cados um ganho importante», salientou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close