Aprovada candidatura que leva ópera a Pinhel

O Município de Pinhel, «fruto de uma parceira com outras autarquias da região Centro», viu aprovada a candidatura ao “O.P.(us) – Ópera no Património”, no âmbito do Programa Operacional Regional Centro 2020. O projecto, que tem duração de três anos (2017 a 2019), visa a realização de um conjunto de eventos de cariz operático associados ao património, à cultura e aos bens culturais dos territórios envolvidos, num total de 91 espectáculos por ano, repartidos, para além de Pinhel, pelos concelhos de Leiria, Batalha, Viseu, Vila Nova de Foz Côa e pela Universidade de Coimbra, informa a autarquia pinhelense em comunicado.
Concretamente para aquela cidade, o programa para 2017 vai coincidir com a comemoração do feriado municipal, realizando-se de 24 a 27 de Agosto num formato género “festival” que integrará os concertos Operático e Didático, um dos quais agendado para dia 25 de Agosto, Dia da Cidade, revela.
Em termos globais, o programa, com um investimento associado de cerca de um milhão de euros, assenta na realização de 18 obras referenciais da história da música a partir de uma estrutura profissional que integra orquestra, coro, solistas. E encontra-se alinhado com uma estratégia regional que tem como objectivo contribuir para a preservação dos valores naturais e culturais, por via da sua conservação e valorização turística, enquanto factores de competitividade e de desenvolvimento económico, através de iniciativas que visem incrementar o turismo cultural, criar emprego e riqueza, valorizar os equipamentos associados ao património e alargar os potenciais beneficiários e a captação de fluxos turísticos, dinamizando os espaços culturais existentes, explica o documento.
Este divide-se em três tipologias: residências artísticas, concerto operático na Universidade de Coimbra e residências artístico/pedagógicas, tendo associado um programa de animação que integra conferências, roteiros turístico-culturais, visitas ao património e aos museus de cada município e outras realizações complementares, ao longo dos três anos.
Para além das residências artísticas, onde estão previstas realizações operáticas, concertos coral-sinfónicos e concertos de música de câmara no património, o programa, finaliza o comunicado, contempla ainda a realização de concertos pedagógicos para o público escolar de cada território, ascendendo este número a 55 concertos por ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close