Arderam este ano no distrito da Guarda 8.619 hectares de espaços florestais

Entre 1 de Janeiro e 15 de Agosto de 2016 arderam no distrito da Guarda 8.619 hectares de espaços florestais e registaram-se 161 ocorrências (98 fogachos e 63 incêndios florestais), refere um relatório provisório do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).
De acordo com o documento divulgado hoje, a área ardida em Portugal em 2016, até ao dia 15 de Agosto, é três vezes superior ao histórico dos últimos dez anos, correspondendo a 103.137 hectares. «Comparando os valores do ano de 2016 com o histórico dos últimos 10 anos destaca-se que se registaram menos 22 por cento de ocorrências relativamente à média verificada no decénio 2006-2015 e que ardeu três vezes mais área do que a respectiva média nesse período», indica o relatório, datado do dia 17 de Julho e difundido hoje pelo Departamento de Gestão de Áreas Públicas e de Protecção Florestal do ICNF.
Segundo o documento, de 14 páginas, o ano de 2016 apresenta, desde 2006 (até ao passado dia 15 de Agosto), o quarto valor mais baixo em número de ocorrências e «o valor mais elevado de área ardida». A estatística especifica que a base de dados nacional de incêndios florestais regista (no período compreendido entre 01 de Janeiro e 15 de Agosto de 2016), um total de 8.624 ocorrências (1.520 incêndios florestais e 7.104 fogachos) que resultaram em 103.137 hectares de área ardida, entre povoamentos e matos.
De acordo com a análise distrital efectuada pelo departamento do ICNF, o distrito de Aveiro foi o mais afectado – no que concerne à área ardida – com 41.569 hectares, «cerca de 40 por cento» da área total ardida até à data. Segue-se Viana do Castelo, com 23.197 hectares (23 por cento do total). No distrito da Guarda registaram-se 161 ocorrências (98 fogachos e 63 incêndios florestais) que resultaram em 8.619 hectares de área ardida.
O relatório refere também que os números de ocorrências registadas no mês de Julho e na primeira quinzena de Agosto de 2016 “superam” os respectivos valores médios do decénio 2006-2015, com mais 204 ocorrências no mês de Julho e mais 1.296 nas duas semanas de Agosto.
“A área ardida entre 01 e 15 de Agosto contabiliza 95.357 hectares de espaços florestais, quase 93 por cento da área total ardida em Portugal continental até essa data”, sublinha o relatório.
O Departamento de Gestão de Áreas Públicas e de Protecção Florestal recorda também que se consideram “grandes incêndios” sempre que a área total afectada seja igual ou superior a 100 hectares. «Até 15 de Agosto de 2016 registaram-se 86 incêndios enquadrados nesta categoria que queimaram 92.966 hectares de espaços florestais, cerca de 90 por cento do total da área ardida» até à referida data. Nesta lista surgem 15 incêndios florestais ocorridos no distrito da Guarda, sendo que o que se registou no passado dia 9 de Agosto em Pousafoles do Bispo (concelho do Sabugal) é o que tem maior área ardida (1.950), seguindo-se o da Barreira (concelho da Meda) em que arderam 1.161 hectares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close