Assembleia Municipal da Guarda aprova por maioria o orçamento da Câmara

A Assembleia Municipal da Guarda aprovou esta tarde, por maioria, o plano e orçamento da Câmara para 2021, com 59 votos a favor, 12 contra e duas abstenções.

Na reunião de Câmara, o documento mereceu a abstenção de um vereador do PSD, Sérgio Costa, que é simultaneamente líder da Concelhia do partido. O documento viria a ter o aval dos quatro restantes elementos da maioria social-democrata e a merecer, sem surpresa, o voto contra dos dois representantes do PS na autarquia, Ana Cristina Marques e Manuel Simões.

Nessa reunião do município, os socialistas consideraram que ficaram «goradas as expectativas» uma vez que no orçamento, no valor de 51,1 milhões de euros, «não existe investimento de qualquer espécie na componente social». Por seu lado, Sérgio Costa entende que o orçamento «põe em causa o programa eleitoral do PSD» e que só não votou contra porque foi eleito nas listas do PSD (ver texto na pág. 3).

Na reunião do executivo municipal em que foram aprovados os documentos, o presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, afirmou que é um orçamento que vai permitir «enfrentar os efeitos da covid-19 de forma musculada». E adiantou que surgem como prioridades apoiar quem trabalha com os doentes, como as instituições particulares de solidariedade social; ajudar as famílias economicamente mais atingidas pela pandemia, apoiar as empresas e atrair mais investimento para o concelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close