Automação vai reduzir 240 mil postos de trabalho na zona Centro em 10 anos refere um estudo

A zona Centro de Portugal vai concentrar 22% dos postos de trabalho que vão ser destruídos na próxima década devido à automação, num total de 240 mil, o que criará a necessidade de requalificação de 134 mil trabalhadores.
De acordo com um estudo que a CIP – Confederação Empresarial de Portugal apresenta hoje em Leiria, o impacto da automação no mercado de trabalho será proporcionalmente mais forte na zona Centro do país, porque a estrutura económica está mais concentrada nos sectores que vão ser mais afectados pela automação.
É na zona Centro que estão localizados 26,5% e 27% da actividade agrícola e da manufactura, respectivamente. «Na zona Centro, 240 mil postos de trabalhos serão perdidos devido à automação até 2030 (…). No entanto, 130 mil postos de trabalho também serão criados na zona Centro devido à automação e ao crescimento por esta gerado», refere o estudo que a CIP vai apresentar numa conferência sobre “O Futuro do Trabalho em Portugal – O Impacto na Zona Centro”.
As indústrias mais afectadas na zona Centro, que concentra 20% da força de trabalho do país, serão as dos produtos de plástico, borracha e metálicos e as de alimentos, bebidas e tabaco. No estudo é defendido que cerca de 134 mil trabalhadores na zona em análise necessitarão de se requalificar para terem emprego em 2030. Notícia desenvolvida na próxima edição do Jornal Terras da Beira.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close