BE da Guarda contra supressão de comboios na Linha da Beira Alta

O Bloco de Esquerda (BE) da Guarda manifestou-se hoje contra a supressão de três ligações do comboio Intercidades na Linha da Beira Alta e vai fazer chegar o descontentamento ao grupo parlamentar na Assembleia da República. A Comissão Coordenadora Distrital e o Grupo Municipal do BE da Guarda emitiram hoje um comunicado conjunto, através do qual criticam a supressão das três ligações do comboio Intercidades na Linha da Beira Alta, duas no sentido Lisboa-Guarda e uma no sentido Guarda-Lisboa.

O partido «vê nesta decisão mais um ataque às regiões do interior e respectivas populações, demonstrando que continuam a ser o alvo fácil e cada vez mais longe de uma coesão territorial». «É para nós preocupante e condenamos desde logo esta decisão, sendo que iremos fazer chegar ao nosso Grupo Parlamentar na Assembleia da República o nosso descontentamento e a solicitação para que seja questionado o Governo», lê-se na nota.

O BE da Guarda lembra que o Intercidades da Linha da Beira Alta passa por quatro concelhos do distrito (Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Trancoso e Guarda), sendo «um importante meio de deslocação» das populações.

«E mesmo depois de ter sido já dito pelos responsáveis que a decisão seria temporária, infelizmente já tivemos situações idênticas noutros serviços públicos, que depois de fechados nunca mais reabriram ou quando reabriram foi sem as mesmas valências», é também referido no comunicado assinado pelo coordenador distrital da Guarda do BE, Bruno Andrade, e pelo líder do Grupo Municipal, Marco Loureiro.

Como o TB já noticiou, o CDS-PP também anunciou hoje que questionou o Governo sobre a supressão de três ligações do comboio Intercidades na Linha da Beira Alta. A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões lamentou, na Quarta-feira, que a CP tenha suprimido três horários do comboio Intercidades, o que considera «mais um ataque ao interior» e às suas gentes.

Em resposta à agência Lusa, a CP disse que «no cenário de retoma gradual da actividade económica do país», a empresa «não repôs a oferta habitual a 100% nesta ligação». «Assim, desde o passado dia 31 de Maio, as ligações Lisboa – Guarda passaram a ser asseguradas por dois comboios Intercidades, por sentido. A CP vai manter diariamente a monitorização da procura destes serviços para introduzir eventuais alterações ou reforços de capacidade, sempre que a evolução da procura o justifique», indicou.

A ministra da Coesão Territorial afirmou, na quarta-feira, em Viseu, tratar-se de uma «interrupção temporária». «Fiz uma articulação com o Ministério das Infraestruturas e Habitação, no caminho [para Viseu], e o que nos foi garantido é que estamos a falar de uma interrupção temporária e que terá sido feita no período da pandemia por falta de procura, que não é mais nada do que isso e que será retomada. Nós todos acompanharemos isso», explicou Ana Abrunhosa aos jornalistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close