Best Youth, Mundo Cão e Sensible Soccers no Mêda +

Arranca esta Quinta-feira mais uma edição do Mêda +, festival que ao longo dos últimos anos se tem assumido «como o evento cultural mais importante da região», e que tem Best Youth, Mundo Cão e Sensible Soccers como cabeças-de-cartaz. O orçamento é de cerca de 50.000 euros, semelhante a anos anteriores. Tal como nas anteriores edições, a entrada é livre e o campismo é gratuito.
Best Youth, Mundo Cão e Sensible Soccers são os cabeças-de-cartaz da oitava edição do Mêda+, a decorrer naquela cidade entre esta Quinta-feira e Sábado, mais uma vez com entrada livre e campismo gratuito. Organizado pela Associação Juvenil Mêda +, o festival arrancou ontem com a recepção ao campista com um espectáculo da Orquestra Sin-fónica dos centros de formação musical de Mêda, Trancoso, Aguiar da Beira e Moimenta da Beira, que reinterpretou alguns dos melhores álbuns da história do rock.
Nos próximos três dias sobem ao palco principal, a partir das 22:00, Nice Weather For Ducks, First Breath After Coma, Sensible Soccers e DJ Francisco Cunha (Quinta-feira), The Twist Connection, Keep Razors Sharp, Mundo Cão e DJ Katy Spikes (Sexta-feira) e Quinta Feira 12, Trêsporcento, Best Youth e Nuno Lopes (Sábado).
No Palco Parque, no Parque Municipal, no coração da cidade, actuam, a partir das 16h00, Ana e Gobi Bear (Quinta-feira), Few Fingers e Surma (Sexta-feira) e Captain Boy e We Bless This Mess (Sábado).
O festival, que ao longo dos últimos anos se tem assumido «como o evento cultural mais importante da região», é apoiado pela Câmara Municipal e pela Junta de Freguesia de Mêda e pela Antena 3. O orçamento para a edição deste ano é de cerca de 50.000 euros, semelhante a anos anteriores, revelou a organização à Lusa.
O Mêda + é organizado desde 2010 pela Associação Juvenil Mêda + e assume-se como um evento «com cada vez mais créditos firmados a nível nacional». «Este é um evento que visa atrair gente de todos os pontos do país, trazendo até esta pequena localidade do Interior do país alguns dos melhores nomes da música portuguesa», referem os organiza-dores na nota enviada àquela agência noticiosa.
À semelhança dos anos anteriores, adianta o documento, o festival«mantém a sua imagem de marca», ou seja, tem entrada livre e campismo gratuito.
Os participantes também podem utilizar as piscinas municipais, que têm um custo de cinco euros pelos três dias de festival.
«Dada a natureza gratuita do festival é sempre difícil estimar um número todos os anos, mas esperamos manter o número do ano passado em que passaram pelo recinto da Santa Cruz, durante os três dias, cerca de 7.500 pessoas vindas de Norte a Sul do país», disse à Lusa Eduardo Soares, da Associação Juvenil Mêda +.
«Num ambiente mais descontraído, este é um espaço que pretende ligar o festival à comunidade local, permitindo assim o convívio entre a população medense e os festivaleiros», conclui a organização.
O Mêda +, recorde-se, teve a sua primeira edição em 2010, por vontade de um grupo de jovens do concelho, que se organizaram um ano antes numa Associação Juvenil. «Os principais propósitos – ainda hoje urgentes – passavam por acrescentar valor e diversidade à dinâmica cultural da Mêda e projectar o nome do concelho, com um festival de música que se pautaria por dois critérios essenciais: apoiar novas bandas portuguesas e abranger vários estilos musicais, numa experiência única para muitos dos jovens que habitam no concelho e na região», lê-se a página do festival.
«A marca Mêda + estabeleceu se definitivamente, associada a uma imagem de irreverência juvenil e ecletismo musical. O festival passou a ser um marco incontornável na agenda do Verão e dos festivais de Verão», escreve a associação.
Pelos palcos do Mêda + já passaram bandas como, entre muitas outras, Linda Martini, Tara Perdida, Capitão Fausto, d3o, X-Wife, O Bisonte, Feromona, Miss Lava, The Glockenwise, Wraygunn, Supernada e Mão Morta.
Em 2015 o Mêda + esteve nomeado nas categorias de “Melhor campismo” e “Melhor Micro festival” no Portugal Festival Awards, prémio que distingue os melhores festivais de música do país. Nesta edição, a terceira, estiveram 140 festivais a concurso em nove categorias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close