Bloco questiona Governo sobre encerramento de balcão em Almeida

O Bloco de Esquerda (BE) questionou o Governo sobre o encerramento do balcão da CGD de Almeida, que motivou, na passada semana, o segundo protesto pacífico contra o eventual fecho desta agência. «Não considera [o Governo] que o encerramento da agência da Caixa de Almeida colocará em causa a prestação de serviços públicos bancários a esta população, em particular à que não tem acesso à internet e que tem maior dificuldade em fazer deslocações? Não o preocupa que o encerramento desta agência possa prejudicar a própria Caixa, uma vez que abandonando este território pode estar a promover a mudança de clientes e depositantes para outros bancos?», questionam os bloquistas, numa pergunta entregue no parlamento e dirigida ao Ministério das Finanças.
O BE pergunta ainda se o Governo «está disponível a interceder junto da Caixa Geral de Depósitos (CGD) para manter a agência de Almeida», acrescentado que a atual administração «pondera encerrar» este balcão. «A população da Freguesia de Almeida, sede de concelho do município com o mesmo nome, tem uma idade elevada, e bate-se com enormes problemas de deslocação, uma vez que os serviços públicos de transportes são quase inexistentes. O encerramento da agência da CGD obrigará muitas pessoas a deslocações demoradas e penosas; retirará a agência da Caixa de junto da população e do pequeno comércio onde ela é essencial», alerta o BE.
Os bloquistas estão contra o encerramento deste balcão da CGD e «não percebem» qual a ponderação de serviço público que está por detrás desta intenção que, a concretizar-se, «estará a dificultar o acesso a serviços públicos bancários», além de deixar um espaço que poderá ser ocupado por outros bancos. «Esta decisão da administração da Caixa deve ser revertida, em nome da defesa da população de Almeida, do interesse e serviço público e em nome do interesse da própria Caixa que deve manter-se como o principal banco a operar em Portugal, o que implica uma presença em todo o território», defende o Bloco de Esquerda.
Na Quarta-feira da semana passada, pelas 20 horas, cerca de cem pessoas estiveram no interior do balcão da Caixa Geral de Depósitos de Almeida, num protesto pacífico contra o eventual fecho daquela agência na sede do concelho. No exterior, estiveram também reunidas aproximadamente mais cem pessoas, também de forma pacífica.
«O nosso objectivo é termos uma resposta da administração da Caixa Geral de Depósitos em como a agência continua em funcionamento», disse, na ocasião, à Lusa a presidente da Junta de Freguesia local, Fátima Gomes. No local estiveram alguns militares da GNR.
Várias centenas de habitantes e autarcas de Almeida manifestaram-se no dia 12 de Abril contra a decisão do fecho da agência local da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e exigiram a sua manutenção naquela vila do distrito da Guarda. Com o protesto, realizado no Largo 25 de Abril, no exterior das muralhas da vila, os manifestantes pretendem alertar a administração da CGD para a manutenção da agência local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close