Bom Senso

Após as eleições intercalares do final do mês de maio para a Freguesia de Santa Maria, o bom senso sobrepôs-se aos egos e o executivo, para o restante tempo do mandato, assim como a mesa da Assembleia, será multicolor.

Em política o mais importante é servir o povo! Logo, não deve valer tudo, mas imperar a vontade de quem, nas urnas, elege aqueles que nos irão governar durante um tempo.

E a verdade é que, essa vontade, voltou, pela força do voto, a ser reafirmada e confirmada quanto à vontade expressa e que os políticos deveriam saber interpretar!

Uma vontade que prevalece na constituição do executivo da freguesia e deve fazer os eleitos atentar nos sinais dados.

Ora, o primeiro grande sinal a carecer de leitura nesta eleição intercalar, é a diminuição de eleitores!

Cada força política perdeu, no domingo eleitoral, 6 dezenas de voto (7 no caso do PSD) em relação à eleição anterior, o que poderá demonstrar o descontentamento destes 190 eleitores pela repetição deste ato eleitoral.

Depois, o sinal claro da divisão de mandatos! O objetivo de ter uma maioria absoluta pelo movimento independente, acabaria por centrar de novo a decisão nos acordos de governação que não tinham surtido efeito algum.

Por fim, a troca de posição entre PS e PSD! Tendo sido os socialistas os únicos a apostar numa lista diferente, 6 votos de diferença valeram o segundo lugar, perdido anteriormente por apenas 5!

Contas feitas, até as diferenças entre as 3 forças se mantiveram praticamente iguais, pelo que a incógnita do que iria acontecer deslocou-se das mesas de voto para as redes sociais, onde se expuseram publicamente trocas de contactos e negociações.

Felizmente para a freguesia as conversas fluíram noutro mundo e uma nova Junta pode agora dedicar o seu tempo aos fregueses e ao território onde habitam, até porque apesar das cores políticas, é mais o que os une, do que aquilo que os separa!

O que deve prevalecer sempre é o respeito escrupuloso da lei que nos rege e o foco no serviço que nos fez eleger.

Santa Maria precisa que o melhor do programa de cada força política sobressaia e a faça avançar em união.

Para trás, ficam meses perdidos…

P.S. – Há um pastel, em Manteigas, que ganhou um prémio de excelência e mostrou que a feijoca também pode ser um doce.

Parabéns Edgar, não só pelo prémio, mas pela coragem de arriscar nesse pastel de feijoca que se tornou ex-libris!

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close