Bombeiros da Guarda propuseram à Câmara benefícios sociais para os voluntários do concelho

A Associação Huma-nitária dos Bombeiros Egitanienses, da Guar-da, propôs à Câmara Municipal para que seja criado um regulamento municipal para a concessão de benefícios sociais para os voluntários do conce-lho. A proposta, que ainda não obteve resposta, pretende ser uma forma de tornar o voluntariado mais atractivo.

Associação Huma-nitária dos Bombeiros Voluntários Egitani-enses, da Guarda, propôs à Câmara Municipal que fosse criado um regulamento municipal visando a concessão de benefícios sociais aos bombeiros do concelho. A autarquia ainda não deu resposta, mas o presidente da direcção da Associação, Luis Borges, acredita que «haverá sensibilidade e disponi-bilidade para acolher a proposta», afirmou na sessão solene comemorativa dos 140 anos daquela associação. Tanto o presidente da direcção como o comandante, Paulo Sequeira, acreditam que a atribuição de benefícios poderia ser uma forma de manter e aumentar o voluntariado nas corporações do concelho. Luís Borges lembrou que estudos recentes assinalam uma diminuição significativa de bombeiros voluntários no activo, verificando-se uma redução de 22 por cento. O dirigente deixou o alerta considerando que é um dado «que a todos deve preocupar particularmente aos decisores político pois é sabido que a estrutura de Protecção Civil em Portugal assenta nos voluntários e os municípios em particular não têm condições financeiras que permitam sustentar uma estrutura operacional maioritariamente profissional».
Luis Borges voltou a lembrar que as exigências operacionais «com que hoje os corpos de bombeiros se confrontam e as correspondentes necessidades financeiras deveriam ser acompanhadas de um financiamento público e justo equitativo que fosse adequado à sua realidade operacional». O presidente da Associação deu o exemplo do investimento recente que foi feito para adquirir 60 equipamentos de protecção individual «com recurso a verbas próprias» de forma a garantir que cada bombeiro «se encontre devidamente protegido, salvaguardando a sua integridade física». «Tal aquisição, financeiramente bastante onorosa para a Associação, não é um capricho da direcção nem um luxo exigido pelos bombeiros, tratando-se de um equipamento indispensável à sua segurança pessoal e que nos coloca a salvo da desresponsabilização das companhias de seguro em caso de acidentes que envolvam danos pessoais em bombeiros», explicou Luís Borges. Aproveitando a presença do secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, o dirigente reiterou a necessidade da legislação incluir uma contribuição municipal para garantir a sustentabilidade financeira das associações. «Só deste modo se evitariam as recorrentes situações de divergência entrre os municípios e as associações humanitárias quanto a verbas transferidas como comparticipação tantas vezes geradoras de conflitos institucionais», sublinhou. Recorde-se que a Associação manteve um diferendo com a Câmara Municipal da Guarda nos últimos anos devido à suspensão da transferência de verbas. O actual executivo retomou a atribuição da contribuição financeira no ano passado atribuindo 17.500 às três corporações o concelho. Este ano o valor foi triplicado, sendo atribuído 34.170 aos bombeiros da Guarda, 10.316 aos de Gonçalo e oito mil para Famalicão da Serra.
O comandante Paulo Sequeira fez referência ao assunto evidenciando a «melhoria da postura» do município. «Não queremos nada para nós. Apenas exigimos que no âmbito da sua responsabilidade as instituições contribuam para que seja garantida a sustentabilidade financeira da associação», referiu.
Na sessão solene foram integrados 14 novos bombeiros no corpo activo, tomou posse Manuel António Pereira como segundo comandante e foram atribuídas condecorações e promoções a diversos bombeiros. Foi ainda formalizada a passagem de Joaquim Lages ao Quadro de Honra. Nas comemorações do 140º aniversário procedeu-se à benção de uma viatura de transporte de doentes, à qual a direcção decidiu atribuir como patrono o Quadro de Honra.

 

Elisabete Gonçalves
elisagoncalves.terrasdabeira@gmpress.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close