Brito quer que a CCDR reverta o chumbo à requalificação do pavilhão do hospital da Guarda

O chumbo da candidatura aos fundos comunitários para a requalificação do pavilhão cinco do Hospital da Guarda não passou despercebida da Convenção Distrital Autár-quica de apresentação dos candidatos do PS às câmaras municipais do distrito. Eduardo Brito, cabeça-de-lista à autarquia da Guarda, lamentou que a Comissão de Coordenação da Região Centro (CCDRC) que aprova rotundas não dê luz verde à obra daquela unidade de saúde. «É preciso que o Governo perceba que numa cidade como a Guarda que queremos liderar não prescinde de um hospital com qualidade e com dimensão e tem que reverter esse chumbo da CCDR», defendeu o candidato socialista, ao dirigir-se à secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.
Só que, a dirigente do PS nem sequer abordou o assunto durante o seu discurso, optando por dizer que quando o PS governa olha para o país «no seu todo» e para as suas oportunidades e poten-cialidades. «E, por isso, não foi por acaso que foi criada a Unidade de Missão para o Interior e a Coesão Territorial. É porque verdadeiramente o interior não pode continuar a ser o parente pobre do litoral. O interior tem que ter as mesmas oportunidades que o litoral e tem que ser aqui que as pessoas se fixam, porque foi aqui que nasceram, é aqui que querem crescer e é aqui que querem viver», disse Ana Catarina Mendes.
Na sua opinião, criar oportunidades no Interior «significa atrair mais emprego, significa atrair mais inves-timento». «E não é por acaso que hoje em Portugal, nós, socialistas, podemos dizer que o crescimento da economia é o melhor desde 2009 e que o crescimento do PIB [Produto Interno Bruto] é o melhor desde a entrada de Portugal na zona Euro e isso é obra dos socialistas a trabalhar para os portugueses», disse.
A secretária-geral adjunta do PS afirmou ainda no seu discurso que o anterior Governo PSD/CDS-PP foi aquele que «mais tribunais encerrou» no país e o distrito da Guarda não foi excepção. A socialista lembrou que com o Governo PS foram reabertos os tribunais de Fornos de Algodres e de Mêda, no distrito da Guarda, «porque essa era uma justa aspiração das populações que têm direito ao acesso à Justiça».
Ainda em relação ao distrito da Guarda, Ana Catarina Mendes afirmou que o actual Governo vai reabrir o Hotel de Turismo e a Pousada de Juventude da cidade da Guarda.
O PS anunciou na noite do passado Sábado como candidatos autárquicos Eduardo Brito (Guarda), Joaquim Fernandes (Almei-da), Esmeraldo Carvalhinho (Manteigas), José Albano Marques (Celorico da Beira), João Paulo Agra (Gouveia), António Dionísio (Sabugal), Jorge Liça (Vila Nova de Foz Côa) e Esperança Valongo (Pinhel).
Recandidatam-se pelo PS os actuais autarcas Manuel Fonseca (Fornos de Algodres), Anselmo Sousa (Mêda), Carlos Filipe Camelo (Seia), Paulo Langrouva (Figueira de Castelo Rodrigo), Amílcar Salvador (Trancoso) e o independente Joaquim Boni-fácio (Aguiar da Beira).
O presidente da Federação Socialista da Guarda, António Saraiva, disse no seu discurso que os candidatos do partido aos 14 municípios do distrito «são, sem dúvida, os melhores candidatos e são o orgulho do PS como actuais e futuros autarcas de excelência». As eleições decorrem a 1 de Outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close