Caloiros descontentes com colocação na Guarda ficam satisfeitos após visita à cidade e ao Politécnico

Alguns dos caloiros recebidos na semana passada no Instituto Politécnico da Guarda (IPG), que se deslocaram à instituição para formalizar a sua matrícula depois de terem sido colocados na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, admitiram que não era sua vontade vir estudar para a Guarda. Alguns caloiros chegaram com a ideia de formalizar a matrícula no IPG, para garantir o lugar, mas com a intenção de repetir a candidatura na segunda fase, cujo prazo de candidaturas decorre até esta Sexta-feira e tentar entrar numa instituição de outra cidade. Mas depois de contactarem com a instituição e com os futuros colegas e conhecerem um pouco da cidade acabaram por mudar de ideias em algumas horas.
São testemunhos relatados por quem toda a semana esteve no edifício dos serviços centrais onde decorreram as matrículas e que recebeu os novos alunos para lhes dar as boas-vindas, dar algumas informações e esclarecer algumas dúvidas. Anfitreões como Jorge Fernandes, Andreia Lopes e Álvaro Xavier, alunos da Escola Superior de Saúde e elementos da Comissão de Praxe, que querem dar o máximo de conforto aos alunos e familiares que acabam de chegar a «uma cidade desconhecida». Contam que tentam «acalmar também os pais» que vêm receosos depois das notícias sobre as praxes. Já noutros casos são os próprios pais a incentivar a praxe aos filhos.
Estes alunos de Enfermagem e de Farmácia defendem que é sobretudo nesta altura de ingresso no Politécnico e de chegada à Guarda que a praxe assume maior importância. «Ninguém quer vir para a Guarda, mas ao final de uma semana de cá estarem querem ficar», sustentam. Andreia e Álvaro, que vieram estudar para a Guarda, contam como foram importantes as actividades da praxe para criar amizades e facilitar a integração. Andreia, Jorge e Álvaro sublinham que a praxe no Politécnico da Guarda nunca foi caracterizada por excessos. Mas os três alunos reconhecem que devido às questões que têm sido levantadas sobre o tema é cada vez «mais dificil» encontrar sítios para praxar os caloiros, mesmo tendo um cariz mais sério. «As pessoas não querem ficar associadas à praxe», lamentam. No caso da Escola Superior de Enfermagem, a Comissão de Praxe está a ponderar a realização de algumas actividades de praxe solidária, como a recolha de alimentos para instituições, recolha de tampinhas e as possibilidade de convívio com idosos.

Presidente do IPG
alerta para excessos
O tema da praxe é também abordado pelo presidente do Politécnico da Guarda, Constantino Rei, numa mensagem de boas-vindas aos novos alunos entregue no kit que os caloiros receberam ao dirigir-se aos serviços para se matricularem. No texto, o dirigente alerta que a instituição respeita as tradições académicas, mas não se revê, nem tolera «as manifestações de abuso, humilhação e subserviência a que por vezes se assiste nas praxes académicas» pois as mesmas «afectam a credibilidade do ensino superior e conflituam com a missão e o propósito daqueles que o frequentam». Constantino Rei sublinha que estas tradições «constituem uma actividade de adesão voluntária e em nenhum caso serão aceites ou toleradas actividades ou actos que possam atentar contra a dignidade pessoal dos visados».
No kit distribuído aos alunos, entre documentos e informações, estava também um panfleto publicado recentemente pela Direcção Gera do Ensino Superior lembrando que «A praxe não é obrigatória. É possível escolher». Apresenta uma série de conselhos e contactos através dos quais se podem recorrer para fazer denúncias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close