Câmara aprova requalificação de mais duas rotundas orçadas em cerca de meio milhão de euros

A Câmara da Guarda vai gastar cerca de 430 mil euros na requalificação das rotundas da Avenida 25 de Abril, na zona do Rio Diz, e do cruzamento para o Alvendre. A este valor acresce o custo das esculturas que depois serão colocadas em cada uma das rotundas. Por agora, sabe-se apenas que a escultura de bronze em forma de mão aberta, da autoria de Dora Tracana, destinada a figurar na rotunda do Rio Diz, custará mais de 92 mil euros. Na outra, que dá acesso ao Alvendre, ficará um cubo em forma de cristal colorido, projectada pelos serviços técnicos da autarquia, desconhecendo-se o valor da escultura.
A proposta para a abertura de concurso público para a requalificação das rotundas foi aprovada por maioria, na passada Segunda-feira, tendo os dois vereadores do PS votado contra. O socialista Joaquim Carreira justificou que, estando a Câmara em processo de saneamento financeiro, são verbas demasiado avultadas. Na sua opinião, «é um processo de puro endividamento da autarquia», relembrando que «já vai quase em um milhão de euros em estátuas e amanho de rotundas». «Então a rotunda que está no entroncamento da Estrada do Rio Diz com a Viceg não está amanhada, não está tratada do ponto de vista urbano?», questiona o vereador.
«Neste momento aquilo que está em causa são projectos desenvolvidos na Câmara da Guarda, que nós louvamos obviamente, mas que ascendem ao valor de 428 mil 778 euros o tratamento destas duas rotundas. E nenhuma delas inclui a estátua que vai ser lá colocada, que custa 92 mil euros», critica Joaquim Carreira, questionando «onde é que a Câmara vai buscar o dinheiro para esta obra?»
«Eu já expliquei que nós aprovisionámos dinheiro para liquidar as dívidas que herdámos, nos fizemos o saneamento financeiro, negociámos com os credores e é natural que que estejamos a criar, por isso, algumas disponibilidades financeiras, para fazermos coisas que consideramos muito importantes no rumo que traçámos, de estimular a economia e aumentar o poder de atracção», respondeu o presidente da autarquia, Álvaro Amaro, depois de confrontado com as críticas da oposição.
O autarca considera que não se trata apenas de «amanhar rotundas», uma vez que as intervenções são mais abrangentes, como é o caso do cruzamento do Rio Diz. «Qual é o melhor? É não fazer lá nada e por lá as ovelhas a pastar na rotunda?», questiona.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close