Câmara da Guarda admite reverter negócio da venda Hotel Turismo caso se tratores em “querela”

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro, disse hoje que está disponível para “reverter” o negócio da venda do Hotel de Turismo local, caso a mesma se transforme numa “querela jurídica”.
“Faz hoje um ano, dava-se início à segunda hasta pública da venda de um património do Estado [o Hotel de Turismo]”, disse o autarca na cerimónia inaugural da Feira Ibérica de Turismo (FIT), que foi presidida pelo primeiro-ministro António Costa.
Álvaro Amaro lembrou que passou um ano e “pese embora todos os esforços” do Turismo de Portugal e do Estado Português, o processo da venda do edifício ainda não foi concluído.
Por isso, alertou que ou o assunto “se resolve agora, tão breve quanto possível, perante a economia do mercado”, ou, caso se venha a transformar-se “numa querela jurídica”, o município que lidera “estará disponível” para reverter o negócio.
“(…) A Câmara da Guarda está disponível para reverter o negócio e entrar na querela jurídica. Coisa que eu não desejo, mas em nome desse melhor uso do património do Estado Português, nós estaremos disponíveis para o fazer. Não o desejo, mas teremos força para isso”, alertou.
O edifício foi vendido em 2010 pela Câmara da Guarda, então liderada pelo socialista Joaquim Valente, ao Turismo de Portugal, por 3,5 milhões de euros, para ser recuperado e transformado em hotel de charme com escola de hotelaria, mas o projeto não saiu do papel e o imóvel está de portas fechadas e a degradar-se.
Em 2015, a Direção Geral do Tesouro e Finanças realizou uma hasta pública para venda do edifício que ficou deserta.
O imóvel foi posteriormente colocado à venda, pelo valor de 1,7 milhões de euros, através de um concurso público de arrendamento com opção de compra, mas o processo ainda não está decidido, tendo o autarca Álvaro Amaro falado do tema na presença do primeiro-ministro que hoje inaugurou a terceira edição da FIT.
O certame decorre no Parque Urbano do Rio Diz, naquela cidade, até domingo, com a participação de 126 expositores.
Este ano, a FIT tem como convidados, o Brasil e a Comunidade Autónoma de Castela e Leão (Espanha).
Com o evento, a Câmara Municipal da Guarda pretende “promover a troca de experiências, abrindo as portas a novos mercados, bem como a produtos turísticos diferenciadores, e, ainda, dar a conhecer o património natural e histórico e a gastronomia, atraindo turistas, visitantes e também investidores”.
Para além da oferta turística variada, o público que visitar a feira poderá ainda usufruir de um programa diversificado com concertos, atividades desportivas ao ar livre, caminhadas, entre outras iniciativas.
O bilhete de acesso diário ao recinto da feira custa dois euros e o geral, para os quatro dias, cinco euros, sendo que as crianças até aos 12 anos têm entrada gratuita.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close