Câmara da Guarda apresenta projectos de regeneração urbana

Câmara Municipal da Guarda apresentou esta Segunda-feira cinco projectos de requalificação e regeneração urbana. A sessão pública, com o lema “A Guarda Renasce” foi orientada pelo presidente da Câmara, Álvaro Amaro que admitiu ter gosto em promover a iniciativa. «Não estava obrigado, mas eu gosto disto», confessou.
O autarca apresentou a requalificação da “Praça”, o Largo em frente à Igreja da Misericórdia, da Torre dos Ferreiros,do Jardim José de Lemos, do Parque Municipal e da Rua do Comércio, que abrange também a Rua Augusto Gil. Foi ainda apresentada a construção da rotunda da Dorna, a requalificação de outras duas, a do Rio Diz e do Alvendre e o projecto de rearborização da cidade, com destaque da Av. de Salamanca onde os cedros vão ser substituídos por outras espécies de folha caduca.
Álvaro Amaro anunciou ainda que vai ser criada uma plataforma para que os guardenses votem e escolham a obra em que vão ser gastos 20 mil euros no âmbito do Orçamento Participativo. A escolha será entre a requalificação do Chafariz da Dorna, a requalificação da Capela do Solar dos Póvoas ou a recuperação de um espaço para a juventude no Parque Municipal. «O povo vai dizer onde é que vai ser gasto o dinheiro», sublinhou Álvaro Amaro.
Para o largo frente à Igreja da Misericórdia, o autarca prometeu uma «verdadeira reforma do espaço». Segue-e um período de 90 dias para o vencedor do concurso elaborar o projecto. Com a intervenção na Torre dos Ferreiros quer transformar o monumento «num verdadeiro pólo de atracção». Uma das soluções prevê a construção de um elevador panorâmico. O projecto tem meio milhão de euros garantidos na candidatura da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela. As duas intervenções ainda carecem de pareceres de entidades com responsabilidades naqueles espaços, ressalvou Álvaro Amaro. O projecto para o Jardim José de Lemos, cuja obra o autarca quer ver concluída até ao final do mandato, também deverá ficar elaborado dentro de aproximadamente 90 dias. «Queremos que seja cada vez mais fruído», justificou o autarca.
Sobre a intervenção no Parque Municipal, o presidente explicou que a intenção é tornar o espaço «atractivo e mais seguro». «Olhamos para ele agora e temos pena», apontou.
A requalificação da Rua do Comércio será, na opinião do autarca, uma «obra marcante para a cidade». Álvaro Amaro acredita que irá «apaixonar uns» e «outros não irão gostar nada». A rua será coberta parcialmente por uma estrutura de policarbonato compacto (transparente). A parte pedonal estará tapada a 80 a 90 por cento. «Quero que seja visitada», sublinhou o autarca prevendo a curiosidade dos visitantes face «à originalidade» da intervenção. A intenção da autarquia é tornar a rua «mais atraente para os peões», mas não fica afastada a possibilidade de ser atravessada pelo trânsito. «Não quero ser sozinho a decidir», disse Álvaro Amaro remetendo a decisão final para uma plataforma ou no limite para um referendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close