Câmara da Guarda aprova voto de congratulação por Governo criar Porto Seco

A Câmara Municipal da Guarda aprovou hoje, por maioria, um voto de congratulação por o Governo ter aprovado, no final do ano, em Conselho de Ministros, o decreto-lei que vai permitir criar o Porto Seco na cidade. A proposta foi apresentada pelo vereador do PS Luís Couto e mereceu os votos favoráveis do presidente Sérgio Costa e dos outros dois eleitos pelo movimento independente Pela Guarda e a abstenção dos três vereadores do PSD.

O Governo aprovou, no dia 29 de Dezembro de 2021, em Conselho de Ministros, um decreto-lei que transfere para a APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, S. A. a gestão do Terminal Ferroviário da Guarda. «O diploma concretiza a integração entre a modalidade ferroviária e marítima no transporte de mercadorias, através da gestão de infraestruturas concentrada na autoridade portuária», segundo o comunicado do Governo.

Na altura, o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Sérgio Costa (Movimento Pela Guarda), reagiu com satisfação à aprovação do documento, por considerar «um primeiro passo» para a criação de um projecto «muito importante» para a cidade e para a região. Segundo o autarca, este «é um primeiro passo para a afirmação e reafirmação da Guarda no futuro da logística não só nacional, mas regional, nacional e até ibérica».

Hoje, o vereador socialista Luís Couto apresentou um voto de congratulação por o Governo ter aprovado o decreto-lei que possibilitará localizar o «primeiro porto seco do país» na cidade mais alta. «É uma decisão justa» que vai «alavancar a economia do distrito» e «irá favorecer a Guarda no âmbito industrial e da colocação de novas empresas», justificou aos jornalistas no final da reunião do executivo municipal.

O presidente da autarquia, Sérgio Costa, reafirmou aos jornalistas, também no final da sessão, o seu «regozijo» pela decisão tomada pelo Governo no final do ano de 2021. «Naturalmente, este é um primeiro passo para o longo caminho que temos que trilhar continuamente, com as instituições públicas, com a APDL, com a Infraestruturas de Portugal, com o Estado central, para que assistamos, no mais curto de espaço de tempo, à publicação desta legislação», disse.

O vereador do PSD, Carlos Chaves Monteiro, justificou a abstenção dos três eleitos no executivo municipal por considerar o voto de congratulação «precipitado». Referiu que o PS «quer ter os louros» de um projecto, que é «fundamental para o desenvolvimento» do território, quando o mesmo se deve «quer ao executivo [municipal] anterior, quer a muita gente da sociedade civil».

Na mesma reunião, o executivo municipal liderado por Sérgio Costa aprovou, por unanimidade, a celebração de um protocolo para instalação do Comando Sub-Regional das Beiras e Serra da Estrela da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil nas antigas instalações da Associação Comercial da Guarda, que foram adquiridas no anterior mandato.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close