Câmara da Guarda vai contratar 49 funcionários para as Piscinas e TMG

Câmara da Guarda abriu no passado dia 8, dois concursos para a contratação de 49 funcionários para desempenhar funções nos espaços que eram geridos pelas ex-empresas municipais “Guarda Cidade Desporto” e “Culturguarda”. Os concursos foram publicados no passado dia 8 em Diário da República (DR), e os interessados dispõem de dez dias úteis a contar daquela data. Esta semana, a autarquia aprovou a contratação de seis assistentes de sala para o Teatro Municipal da Guarda (TMG).
A notícia da abertura do concurso público da Câmara da Guarda para contratação de 49 funcionários para as Piscinas e para o TMG foi avançada pelo TB. Poderão concorrer os trabalhadores da administração pública e os que tenham celebrado “Acordo de Cedência de Interesse Público com o Município da Guarda” e as duas empresas municipais.
No caso das Piscinas, está prevista a para a contratação de 30 funcionários para ocuparem os postos de trabalho referentes à prossecução das actividades internalizadas, em virtude da dissolução da empresa municipal “Guarda Cidade Desporto”. Como refere o anúncio, estão em concurso sete postos de trabalho na carreira técnica superior, dos quais seis técnicos superiores na área do desporto, para, entre outras funções, planear e organizar acções desportivas; e ainda de um técnico superior na área de gestão, para gerir os recursos humanos afectos aos equipamentos desportivos.
Há também cinco postos de trabalho na carreira assistente técnico, dos quais três assistentes técnicos na área administrativa e um assistente técnico na área da manutenção. Em aberto está ainda a ocupação de dezoito postos de trabalho na carreira de assistente operacional, entre os quais seis assistentes operacionais na área de atendimento ao público (recepcionistas) e três assistentes operacionais na área da manutenção.
Por último, o concurso visa ainda a contratação de quatro assistentes operacionais na área da limpeza; um assistente operacional na área de vigilância (nadador Salvador) e quatro assistentes operacionais na área da vigilância.

Dezanove funcionários para o TMG
O outro anúncio diz respeito à contratação de 19 funcionários para ocuparem os postos de trabalho referentes à prossecução das actividades internalizadas, em virtude da dissolução da empresa municipal “Culturguarda, Gestão da Sala de Espectáculos e Actividades Culturais”.
Em causa estão seis postos de trabalho na carreira técnica superior (um técnico superior na área de secretariado um técnico superior na área de engenharia mecânica, um técnico superior na área da comunicação e relações públicas, dois técnicos superiores na área do design e um técnico superior na área de economia.
Há ainda cinco postos de trabalho na carreira assistente técnico (dois assistentes técnicos na área dos audiovisuais, um assistente técnico na área da contabilidade, dois assistentes técnicos na área de atendimento ao público).
Por última, a autarquia quer também contratar outros oito funcionários (um assistente operacional na área da gestão de energia [electricista], um assistente operacional na área dos audiovisuais, dois assistentes operacionais na área da limpeza, um assistente operacional na área de auxílio administrativo, dois assistentes operacionais na área da vigilância e um assistente operacional na área de palco).

Câmara da Guarda vai contratar assistentes de sala
Para garantir o normal funcionamento das actividades do Teatro Municipal da Guarda durante este ano, a Câmara da Guarda considera «essencial recorrer ao serviço externo de assistentes de sala que garantam a recepção e o acompanhamento dos utilizadores/espectadores dos diferentes espaços». A autarquia refere na proposta, aprovada na última reunião do executivo municipal, que «para que o serviço seja assegurado de forma profissional», será necessário uma assistente de sala em espectáculos do Pequeno Auditório, três assistentes para os espectáculos do Grande Auditório, em que se preveja casa cheia (uma vez por mês), e duas para os espectáculos também para o Grande Auditório que sejam de menor dimensão. «Tais serviços, pela sua especificidade, remetem para a necessidade de consulta ao mercado e aquisição externa», justifica a autarquia, acrescentando que o valor contratual estimado é de 7.500 euros.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close