Câmara do Fundão lança petição para reivindicar Unidade de Medicina Nuclear

A Câmara do Fundão lançou uma petição pública para reivindicar junto do governo a instalação de uma Unidade de Medicina Nuclear no Hospital do Fundão. A petição recorda a «importância estratégica» que a Unidade de Medicina Nuclear teria para a região. «Os abaixo-assinados requerem ao Ministério da Saúde – numa perspetiva de redução de custos ao Estado, de proximidade de cuidados de saúde numa área tão sensível ao cidadão, e de alargamento de respostas a uma população abrangida e estimada em pelo menos 350 mil habitantes fixada num território de baixa densidade – a instalação de uma Unidade de Medicina Nuclear no Hospital do Fundão», lê-se no documento que pode ser assinado na página da internet relativa às petições públicas. O texto está dirigido ao presidente da República, ao presidente da Assembleia da República, ao primeiro-ministro, ao ministro da Saúde e aos deputados à Assembleia da República.
A petição recorda que há um «elevado número de doentes que anualmente se deslocam para os centros urbanos de Coimbra e Lisboa em busca deste serviço», a petição também frisa que tal implica «um elevado custo para o Estado para os doente», que poderia ser reduzido com a criação daquele serviço.
Entre os argumentos, sublinha-se ainda o facto de não existir na região do Interior Centro qualquer serviço de diagnóstico público ou privado e acentua-se que a criação desta unidade já mereceu parecer positivo das Unidades Locais de Saúde da Guarda, Castelo Branco e Portalegre e, naturalmente, do Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB), no qual está integrado o Hospital do Fundão. O apoio dos 15 municípios que compõem a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela e o facto de a criação desta unidade já constar na Rede de Referenciação de Medicina Nuclear são outros dos argumentos apresentados. Entre os considerandos é ainda recordado que o projecto assenta numa parceria entre o Município do Fundão, o CHCB e a Misericórdia do Fundão e que incorpora um investimento municipal para instalar a referida unidade.
Além disso, é igualmente apontada a questão das mais-valias para o ensino universitário, dado que o CHCB é a unidade hospitalar nuclear da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior.
O Fundão há vários anos que reivindica a instalação da Unidade de Medicina Nuclear, num processo que tarda em ter luz verde e que em Novembro de 2014 levou mesmo o presidente da autarquia, Paulo Fernandes, a ameaçar entregar o cartão de militante do PSD, caso o silêncio sobre o andamento do dossier se mantivesse.
O assunto volta à ordem do dia depois do governo ter anunciado que em breve irá tomar uma decisão sobre a instalação de uma unidade de Radioterapia para servir os distritos de Viseu, Guarda e Castelo Branco. Esta valência poderá ser incluúda na Unidade reivindicada pelo Fundão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close