@ Caminh@ podia ter sido outr@

No 100º episódio da sua rábula semanal de domingo à noite, “Isto é Gozar com Quem Trabalha”1, Ricardo Araújo Pereira (RAP) e a sua entourage expuseram magistralmente o atabalhoado processo que culminou na demissão do Secretário de Estado Adjunto de António Costa e antigo Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves.

Um dos principais intervenientes na cena cómica de RAP é Ricardo Moutinho, empresário que propôs a construção do Centro de Exposições Transfronteiriço (CET) na vila minhota. Associadamente, iria ainda surgiu um Centro Tecnológico relacionado com este CET.

Um dos principais instrumentos para a concretização humorística de domingo à noite foi uma entrevista que este empresário concedeu ao Expresso e que revela um conjunto de contradições sobre a dimensão da sua atividade empresarial e até sobre as qualificações académicas, apresentando-se como doutorado quando não tinha concluído este ciclo de estudos. Em suma, uma imagem bastante patética e que leva a questionar como é que conseguiu convencer um autarca experiente – Miguel Alves ia já no seu segundo mandato à data dos factos – que este seria um bom modelo de investimento.

Ora, este mesmo investidor procurou implementar um projeto semelhante na Guarda, também um CET com um Centro Tecnológico associado, que até já tinha nome – Centro Tecnológico Fernando Carvalho Rodrigues.

Uma notícia da Rádio F de 4 de novembro de 20192, aludindo a uma intervenção do na altura Presidente Carlos Chaves Monteiro, dava conta que o projeto do CET daria os passos seguintes no ano de 2020.

A 5 de dezembro de 2019, o jornal “O Interior” noticiava que este projeto não se concretizaria nos terrenos da antiga fábrica Tavares, no Rio Diz, por ainda não ter sido feito a escritura, mas que a autarquia avançaria com a construção noutro local.3

Mais tarde, a 13 de dezembro do presente mês, noticiou este jornal4, Terras da Beira, que havia uma forte possibilidade do mesmo ficar no Parque Urbano do Rio Diz (PURD), numa zona que englobava o semi-coberto. Ainda assim, alguns dias depois, numa notícia 19 de dezembro de 2019 e de acordo com nova notícia deste jornal5, o então Presidente de Câmara Municipal afirmava, em Assembleia Municipal, que lutaria pela construção do CET na zona da fábrica da sociedade Têxtil Manuel Rodrigues Tavares e que o CET no PURD poderia “não ser a solução mais adequada”. Esta notícia surge após outra, da Rádio F e do dia 18 do mesmo mês6, que refere que uma proposta para permitir a construção do CET no PURD não tinha sido levada à Assembleia Municipal por não ter apoio suficiente junto dos deputados municipais do PSD.

Finalmente, em junho de 2020 e segundo notícia d’”O Interior”, confirma-se o adiamento sem termo à vista desta iniciativa, quer pela não titularidade dos terrenos desejados para o CET, quer pela necessidade de melhor instrução da proposta por parte do fundo de investimento, ao contrário do acordado em fevereiro desse ano entre a Greenfield, a Câmara Municipal e a Têxtil Manuel Rodrigues Tavares para a construção do CET nos terrenos da antiga fábrica.7

Este assunto foi também discutido e questionado na Assembleia Municipal de 30 de junho do mesmo ano8 – nomeadamente o modelo de negócio – pelo então deputado municipal do CDS-PP Henrique Monteiro. Na mesma linha, o então deputado António Monteirinho (PS) classificou mesmo o negócio como ruinoso. Para além disso, a então Presidente da Assembleia Municipal, Cidália Valbom, afirmou ter dúvidas quanto ao assunto.

Olhando em retrospetiva, felizmente que o caminho na Guarda foi diferente do de Caminha. Se assim não fosse, sairíamos prejudicados e seríamos também alvo do vexame nacional a que o antigo Presidente de Caminha se sujeitou a si ao Município que liderava.

Posto isto, a Guarda necessita efetivamente de um espaço para exposições e eventos de maior dimensão, com a garantia de que o processo que conduza ao mesmo seja implementado de forma aberta, clara e transparente.

1 https://sic.pt/programas/istoegozarcomquemtrabalha/nao-vamos-comecar-ja-a-dizer-que-a-tap-nao-paga-paga-so-nao-e-em-dinheiro/

2 https://radiof.gmpress.pt/elaboracao-do-projecto-do-centro-exposicoes-transfronteirico-da-guarda-devera-dar-os-primeiros-passos-no-proximo-ano/

3 https://ointerior.pt/sociedade/camara-ja-escolheu-novo-local-para-construcao-do-centro-de-exposicoes-da-guarda/

4 https://terrasdabeira.gmpress.pt/ha-uma-forte-possibilidade-de-ficar-no-parque-urbano-do-rio-diz-o-centro-de-exposicoes-transfronteirico/

5 https://terrasdabeira.gmpress.pt/presidente-da-camara-da-guarda-promete-lutar-para-localizar-centro-de-exposicoes-em-terreno-da-antiga-fabrica-tavares/

6 https://radiof.gmpress.pt/carlos-chaves-monteiro-obrigado-recuar-nao-vai-levar-proposta-da-construcao-do-multiusos-cet-no-polis-assembleia-municipal-da-guarda/

7 https://ointerior.pt/sociedade/camara-da-guarda-recua-no-centro-de-exposicoes-transfronteirico/

8 https://cdn.mun-guarda.pt/WS/1613394039-94322

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close