Candidatura da “Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027” tem dois mandatários da juventude

A Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027 apresentou hoje os mandatários da juventude, que venceram o concurso que desafiava os jovens da Beira Interior a apresentarem ideias inovadoras como legado do projecto 20 anos depois.
O júri do concurso premiou as ideias de Inês Lopes Gonçalves, de Aguiar da Beira, de 15 anos, e António Rodrigues, da Guarda, de 17, de entre uma lista de 12 finalistas, de acordo com um comunicado da candidatura enviado à comunicação social.
«A nossa professora de Português propôs-nos participar e como vivo num ambiente rural acho que o património natural deve ser valorizado. A minha ideia surgiu daí», referiu Inês Lopes Gonçalves, citada na nota. A jovem de Aguiar da Beira antevê que, «em 2047, a Guarda seja uma grande cidade, com um grande poder económico e que a Beira Interior tenha a capacidade de reaproveitar todos os locais desabitados para a transformação em espaços naturais com alojamento, onde as pessoas e os visitantes viverão e aprenderão o verdadeiro significado de conviver na Natureza».
António Rodrigues idealiza que a Guarda, vinte anos depois de ser Capital Europeia da Cultura, apresente «um dos edifícios mais notórios a nível europeu e, possivelmente, mundial: o Panteão da Cultura», um local onde, com recurso à realidade virtual, rede 5G e Inteligência Artificial, será possível dialogar e interagir com figuras relevantes dos 17 municípios da candidatura Guarda2027. Entre eles, o jovem destaca Eduardo Lourenço, Eugénio de Andrade, Augusto Gil, Vergílio Ferreira e Pinto Peixoto, entre outros.
Para Beatriz Silva, do júri, que integra o conselho municipal de juventude da Guarda, o concurso «motivou os jovens a pensar o futuro e a empenharem-se em ter uma palavra a dizer no caminho que se está a trilhar para a Beira Interior». «A Inês e o António fizeram ouvir a sua voz e fazem agora parte da candidatura por mérito próprio», salienta a estudante de comunicação e relações públicas no Instituto Politécnico da Guarda (IPG).
O Júri do BI2047 integrava ainda Francisca Abreu, do conselho estratégico da Guarda2027, membro da “Cities for Europe” e vereadora da Cultura de Guimarães durante a Capital Europeia da Cultura em 2012; Patrícia Correia, directora-adjunta do beira.pt e professora no IPG; Thierry Santos, técnico superior da Câmara Municipal da Guarda e programador para a Juventude e Educação da Guarda2027, e Pedro Gadanho, diretor executivo da Candidatura.
A Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027 lançou também hoje oficialmente a página “web” da candidatura (www.guarda2027.pt), que «prossegue o seu caminho de preparação do processo, tendo nos últimos meses desenvolvido trabalhos de reflexão estratégica e programação operacional, com as suas equipas a funcionar em modo de teletrabalho».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close