Carlos Adaixo é o candidato à Câmara da Guarda pela coligação “Guarda em Primeiro”

Carlos Adaixo, professor, é o candidato à Câmara da Guarda nas eleições autárquicas de 1 de Outubro pela coligação “Guarda em Primeiro”, formada por independentes e pelos partidos CDS-PP, MPT e PPM. O candidato independente, de 55 anos, residente na Guarda, que lecciona Filosofia e Psicologia na Escola Secundária de Pinhel, foi apresentado na tarde de Segunda-feira como cabeça-de-lista da coligação, numa sessão pública realizada no auditório do Paço da Cultura da Guarda.
Na apresentação, o presidente da concelhia do CDS-PP da Guarda, Henrique Monteiro, referiu que a candidatura “Guarda em Primeiro” surgiu porque nos três partidos que a integram «há um sentimento comum de inconformismo». «Somos da Guarda e queremos afirmar a Guarda e trabalhar pela Guarda», disse o dirigente para justificar o lema da candidatura autárquica. Sobre o candidato Carlos Adaixo, o mandatário da candidatura, António Godinho Gil disse que «tem muito para dar à Guarda e a Guarda espera muito dele».
O cabeça-de-lista justificou a sua candidatura por entender que no concelho é necessário que os políticos vão «além da política do tijolo ou da manilha». Adiantou que o seu programa eleitoral assentará em «quatro vectores importantes»: investimento e emprego, acção social, cultura e património e ambiente.
Carlos Adaixo irá propor ao eleitorado um programa «ajustado à realidade« e às necessidades locais. «Estarei na política sempre de forma vertical e honesta e nunca me ouvirão dizer uma coisa hoje e amanhã outra», disse.
O candidato afirmou que o seu objectivo é «ganhar» a presidência do município actualmente liderado por Álvaro Amaro (PSD/CDS-PP). «Estou convencido que é possível porque há muito descontentamento e as pessoas não estão satisfeitas», justificou, em declarações aos jornalistas.”O actual presidente da autarquia da Guarda, Álvaro Amaro, vai concorrer ao segundo mandato pelo PSD, o PS candidata o ex-presidente da Câmara Municipal de Seia, Eduardo Brito, e o BE candidata Jorge Mendes, ex-presidente do Instituto Politécnico da Guarda.
Nas eleições autárquicas de 2013, o social-democrata conquistou ao PS a presidência da câmara que era gerida por este partido desde as primeiras eleições autárquicas (1976). Álvaro Amaro, que concorreu em coligação com o CDS-PP, foi eleito por maioria absoluta, com 51,43% dos votos e cinco mandatos autárquicos, ocupando o PS os outros dois lugares do executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close