Carlos Condesso (PSD) quer recuperar tempo perdido em Figueira de Castelo Rodrigo

O presidente eleito da Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo, o social-democrata Carlos Condesso, prometeu trabalhar para “recuperar o tempo perdido” pelo concelho nos dois últimos mandatos do PS.

Carlos Condesso disse à agência Lusa que protagonizou uma vitória “para todos os figueirenses”, porque o concelho percebeu que a governação socialista “estava esgotada” e “estava a colocar o concelho numa situação muito complicada”.

“Não havia desenvolvimento, todos os ‘rankings’ indicavam que o concelho era dos piores do país e era preciso devolver a esperança aos figueirenses. E os figueirenses perceberam isso e deram uma grande vitória à minha candidatura. Ganhámos a Câmara, ganhámos a Assembleia [Municipal] e ganhámos oito de dez freguesias”, disse.

No mandato autárquico pretende trabalhar para “recuperar o tempo perdido” e a equipa que lidera vai “arregaçar mangas, para recuperar esse tempo perdido, para dinamizar a economia local e para implementar políticas que realmente cativem investimento, que vão em direção às reais necessidades das pessoas” e para enfrentar o período pós-pandemia.

O social-democrata disse que sente “muito orgulho” no concelho e nos seus habitantes, está “muito grato” porque “as pessoas disseram sim” e garantiu que a mudança que ocorreu na liderança do município “vai fazer avançar Figueira de Castelo Rodrigo”.

“Figueira de Castelo Rodrigo reconheceu o trabalho e o mérito de um filho da terra e Figueira de Castelo Rodrigo e os figueirenses perceberam que estes últimos oito anos de governação levaram o concelho a um retrocesso alarmante e também perceberam que um terceiro mandato seria catastrófico. Figueira mudou e Figueira vai avançar”, concluiu Carlos Condesso.

O autarca socialista derrotado, Paulo Langrouva, disse à Lusa que o resultado eleitoral foi “uma surpresa”. “Não estávamos a contar com esta derrota. A democracia é isto mesmo, o povo é soberano. Decidiu, tomou as suas decisões e, certamente, que tomou bem. E, portanto, daqui a quatro anos o povo avaliará se foi a melhor decisão ou não”, justificou.

O socialista mostrou-se um pouco triste e surpreendido, por reconhecer que tinha feito “um bom mandato” e “um trabalho exemplar”, mas, “às vezes, o povo não sabe reconhecer isso”. Paulo Langrouva disse respeitar a decisão e desejou “as maiores felicidades” ao novo presidente. Admitiu esperar que “corra tudo pelo melhor” e disse que ainda não decidiu se vai assumir o lugar de vereador no novo executivo.

O candidato social-democrata à Câmara de Figueira de Castelo Rodrigo, Carlos Condesso, ganhou com maioria absoluta, afastando o PS da presidência, segundo os dados do Ministério da Administração Interna (MAI). O PSD venceu com 47,63%, correspondendo a três mandatos, enquanto o segundo mais votado foi o PS, com 45,41% (dois mandatos).

Dos 5.395 eleitores do concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, 73,23% foram votar (a abstenção atingiu os 26,77%), tendo sido registados 1,37% de votos brancos e 2,15% de votos nulos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close