Casas pré-fabricadas do Bairro da Fraternidade vão ser requalificadas

Vinte e duas habitações do Bairro da Fraternidade, junto às Lameirinhas, na Guarda, vão ser reabilitadas, não havendo ainda uma data definida, envolvendo um investimento de 750 mil euros, dos quais 250 mil euros serão suportados pela Câmara Municipal e o restante pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU). Para isso será celebrado amanhã um protocolo entre o IHRU, a quem caberá requalificar as casas, e o Município da Câmara, que ficará responsável pela elaboração do projecto de loteamento e pela construção das infraestruturas nas 22 habitações (19 que são propriedade do IHRU e três do Município).
A proposta de protocolo entre o IHRU e a autarquia, que deverá ser amanhã assinada na presença do secretário de Estado Adjunto do Ministério do Ambiente, José Mendes, foi aprovada, por unanimidade, na reunião do executivo municipal que decorreu na passada Segunda-feira. O vereador socialista, Joaquim Carreira, defende que, em vez da reabilitação, a autarquia deveria «pensar em construir habitações de raiz, dada a estrutura das casas que é de amianto, e de elaborar um plano de urbanização daquele bairro que foi construído há quase 40 anos para albergar famílias oriundas das ex-colónias.
Para o presidente da autarquia, Álvaro Amaro, trata-se de «um passo histórico» para acabar com uma situação, como é a falta de condições de habitabilidade num bairro em plena cidade, que «já não devia existir» nos tempos actuais.
«Começámos por propor um primeiro estudo prévio, que era construir casas novas em banda, e depois um segundo estudo prévio, que era construir em altura», mas o IHRU não aprovou nenhuma destas propostas. Amaro continua, no entanto, a defender que o município não deve desistir de ver construídas novas casas naquela zona, mostrando-se esperançado que «no decorrer da execução do protocolo possam haver soluções que retomem aqueles dois estudos prévios», ou seja, de, «contíguo àquela zona, se possam construir mais casas para poder integrar pessoas com rendimentos mais baixos».
A reabilitação daquele bairro faz parte da lista de promessas de Álvaro Amaro. Em anteriores reuniões do executivo, em que o assunto foi abordado, o autarca chegou a dizer que as condições do bairro não são uma vergonha, mas um escândalo que já dura há anos. E chegou a adiantar que já tinha tido várias reuniões com o IHRU para tratar de resolver uma situação à qual, frisou, o anterior executivo, liderado pelo socialista Joaquim Valente, não chegou a dar resposta, nem mesmo às várias solicitações feitas pelo IHRU.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close