Cidália Valbom: «CIMEIRA IBÉRICA 2020- Uma oportunidade para a Guarda»

O primeiro encontro Ibérico na Guarda realizou-se a 12 de Fevereiro de 1976, entre, os então Ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, Melo Antunes e José Maria Areílza, para o reestabelecimento das relações diplomáticas entre Portugal e Espanha.

Lutávamos nós pela consolidação da Democracia.

Esperavam os espanhóis a sua chegada.

No próximo dia 10 de Outubro de 2020, a Guarda receberá a 31ª Cimeira Ibérica entre os Governos de Portugal e Espanha representados pelos Primeiros Ministros de cada país, com o objetivo de definir uma Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço.

O interior deve ser visto como um grande centro da Península Ibérica” – Augusto Santos Silva, MNE – 29º Cimeira Ibérica – Vila Real-2017

Regiões de fronteira como novas centralidades de um grande mercado ibérico de 60 milhões de consumidores”- António Costa, PM – 29º Cimeira Ibérica – Vila Real-2017

Definir uma estratégia comum contra o despovoamento da zona da raia” – 30.ª Cimeira Ibérica Valhadolid – 2018

Sobram intenções e faltam concretizações.

Lutamos todos, os do interior de Portugal e Espanha, pelo mesmo desenvolvimento harmonioso e sustentável.

A Guarda não pode deixar passar esta oportunidade única para exigir a concretização de tantas e tantas promessas, que até agora não passaram disso mesmo.

Mas centremo-nos nas mais recentes, Porto Seco e Eixo Ferroviário, integradas nos principais eixos estratégicos desta Cimeira – mobilidade transfronteiriça, infraestruturas e conectividade territorial e desenvolvimento económico

A Guarda tem hoje uma Plataforma Logística diferenciadora e com uma localização privilegiada dada a proximidade das rodovias A23, A25, IP2 e corredores ferroviários da Linha da Beira Alta e Linha da Beira Baixa e a Concordância entre as duas ( Concordância das Beiras).

O investimento na Linha da Beira Baixa e Terminal Ferroviário da Guarda, fundamentais como ponto de ligação a Espanha e à Europa, potencia a eficiência e eficácia da Plataforma Logística da Guarda.

Contamos com um tecido empresarial forte na área da logística/distribuição e com uma localização estratégica, o que nos coloca, hoje, como o único “Hub” de distribuição nacional e internacional de mercadorias no interior do país, para importação e exportação de matérias primas, produtos e serviços.

A criação na Guarda do primeiro Porto Seco do país, Porto Seco da Península Ibérica, não só complementa, harmoniza e catalisa o desenvolvimento e diferenciação das infraestruturas referidas, como confere potencial económico a toda esta região, a todos estes territórios, confirmando a Guarda como uma das principais “ placas giratórias” de cargas, permitindo a circulação eficiente, económica e ambientalmente competitiva e sustentável.

Promove a equidade entre regiões e a coesão territorial.

Avance o estudo e a sua concretização.

O tempo é uma variável crítica para a sustentabilidade do interior.

É crucial a conclusão de projetos “fundamentais para o tráfego de mercadorias para Espanha, alargando o Hinterland portuário ao mercado ibérico” como refere o Prof. António Costa e Silva na sua Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030, pelo que não se compreende a não inclusão deste projeto do Porto Seco da Guarda, naquele documento.

Saibamos nós fazer o que nos compete.

Cidália Valbom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close