Cimeira Ibérica: Português e espanhol entre as três línguas mundiais “que mais crescem” – MNE

As línguas portuguesa e espanhola «estão entre as três línguas mundiais que mais crescem», disse hoje o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, na Guarda, na apresentação de um estudo realizado por Portugal e Espanha.

Augusto Santos Silva falava no Teatro Municipal da Guarda, na sessão de apresentação do estudo “A Projeção Internacional do Espanhol e do Português: O potencial da proximidade linguística”, inserida no programa da 31.ª Cimeira Luso-espanhola, dedicada à cooperação transfronteiriça e à articulação de uma estratégia conjunta para a recuperação económica.

O estudo foi realizado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua (Portugal) e pelo Instituto Cervantes (Espanha) e coordenado por Luís Reto e Rebeca Rivela.

A apresentação incluiu-se nas iniciativas conjuntas das comemorações dos 500 anos da viagem de circum-navegação, iniciada por Fernão de Magalhães e concluída por Sebastian de Elcano.

«No seu conjunto, estas línguas [português e espanhol] são faladas por, seguramente, mais de oito centenas de milhões de pessoas no mundo», apontou o ministro, referindo-se aos resultados do estudo.

Augusto Santos Silva acrescentou que «muitos dos seus falantes maternos» são habitantes da Europa, da América Latina, de África, da Ásia e da América do Norte.

«A geografia destas duas línguas é uma geografia global. E a dinâmica demográfica destas duas línguas é uma demografia em crescimento. O espanhol e o português estão entre as três línguas mundiais que mais crescem», apontou.

Disse ainda que foi decidido apresentar hoje o estudo, na Cimeira Luso-Ibérica, onde foi acordada uma estratégia conjunta transfronteiriça, por ambos os governos entenderem que a estratégia conjunta transfronteiriça marca a cooperação dos dois países na Europa, e o estudo “A Projeção Internacional do Espanhol e do Português: O potencial da proximidade linguística” marca a cooperação “em todo o mundo”.

A primeira vice-presidente do Governo de Espanha, Cármen Calvo, disse que o estudo revela como as duas línguas «podem competir» com a língua inglesa.

No encerramento da mesma sessão, onde também foi apresentada a Estratégia de Desenvolvimento Transfronteiriço, o líder do Governo de Espanha, Pedro Sánchez, disse que a proximidade linguística entre os dois países «é uma riqueza» que não deve ser desdenhada.

Sánchez disse esperar que a candidatura de Espanha para ser observador associado da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP)permita a promoção conjunta»

«É inegável, que tanto o espanhol como o português, podem desempenhar, no conjunto da comunidade internacional, o desenvolvimento social e a promoção da ciência e da informação», afirmou Pedro Sánchez.

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, afirmou na sua intervenção que os dois países, que vão estar conectados por cabo, com a América Latina e com África, devem querer ser «um grande “hub” da conectividade digital entre a Europa e o resto do mundo». «Há cinco séculos fizemos isso por via marítima. Hoje podemos e devemos fazer isso por via do digital», afirmou.

António Costa acrescentou que para tal «é fundamental a valorização das Línguas», porque ambas devem ser «línguas veiculares do conhecimento, da cultura, da ciênci»”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close