CineEco com ante-estreias, “ecotalks”, concertos, palestras e exposições

Daqui a menos de um mês começa o CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela. A 27ª edição, que decorre em Seia, de 9 a 16 de Outubro, inclui instalações interactivas, ante-estreias nacionais, “ecotalks”, concertos, palestras e exposições. A direcção do festival sublinha que «a resiliência do CineEco é reveladora da pertinência da temática ambiental nos dias de hoje».

As “ecotalks” realizam-se nos dias 10, 11, 12, 14 e 15 de Outubro, com a participação de nomes como Christiane Torloni (actriz brasileira e realizadora do filme “Amazónia, o Despertar da Florestania”), Chico Guariba (director da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental de São Paulo), Jorge Pelicano (cineasta e repórter de imagem) Diogo Reffóios (nómada digital), Joana Sá (pianista, improvisadora e compositora) e Cristina Branquinho (professora de Ecologia e investigadora), entre outros. Durante o festival haverá antestreias nacionais de três filmes, estando já confirmado o documentário “La Croisade”, do realizador e actor Louis Garrel.

A 27.ª edição do CineEco, que abre com um concerto da banda Anaquim, contará, ainda, com múltiplas actividades paralelas, sendo que logo no primeiro dia será exibido o documentário “O Lago Sagrado, Uma viagem por uma estrada profunda e gelada”, com a presença da realizadora Carla Varanda e do fotógrafo Mário Lisboa.

No dia 13 de Outubro, Dörte Schneider, especialista certificada em matéria de educação e sensibilização para uma produção mais verde, fará uma palestra sobre “Green Shotting” com o objectivo de «sensibilizar e informar o sector audiovisual para a adopção de práticas ambientais sustentáveis e promoção dos mesmos como agentes de mudança para integração de modelos de produção mais verdes».

De 9 de Outubro a 30 de Novembro estará patente no “Foyer Auditório” a mostra “Artes Plásticas – Projecto ReciclARTE”, da companhia ASTA Teatro, que integra artes plásticas, teatro, música e lixo «para a criação de diversos objectos artísticos e com o intuito de combater o insucesso escolar e educar para a reciclagem, reutilização e reaproveitamento de resíduos».

Para 16 de Outubro, último dia do CineEco, numa parceria com o Festival DME, poderá ser vista a instalação interactiva “Lugares Invisíveis”, uma mostra com paisagens sonoras e visuais que impelem à reflexão sobre o meio ambiente, diferentes níveis de poluição e a relação com o planeta.

A direcção do festival sublinha que «a resiliência do CineEco é reveladora da pertinência da temática ambiental nos dias de hoje». «Curiosamente, os 27 anos deste festival cruzam-se com episódios marcantes que aconteceram no mundo e, em particular, na nossa sociedade como é o caso dos incêndios de 2017, a desflorestação da Amazónia e de outras manchas verdes, os mais recentes incêndios nos EUA, Austrália, as cheias devastadoras que aconteceram este ano na Europa, o recrudescimento de fenómenos cada vez mais extremos», afirma.

A competição oficial da 27.ª edição do CineEco recebe um número recorde de mais de 90 filmes de mais de 20 países.

O CineEco é organizado pelo município de Seia e conta com o alto patrocínio do Presidente da República e do Departamento de Ambiente das Nações Unidas. Como habitualmente, o festival tem o apoio do Jornal Terras da Beira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close