CineEco de Seia nomeia três filmes ambientais para o 7.º Award GFN

O CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela nomeou três filmes candidatos ao 7.º Award GFN, organizado por uma rede mundial de 40 festivais de cinema de ambiente.

A direcção do CineEco refere em comunicado, disponível na página oficial do facebook, que nomeou os filmes “A Alma de um Ciclista”, “Vi(r)agens” e “Todo o tempo do mundo”.

O 7.º Award GFN é organizado anualmente pela Green Film Network (GFN), uma rede de 40 festivais de cinema de ambiente de todo o mundo, que este ano decorre “online”, depois de em anos anteriores ter sido organizado fisicamente pelos festivais de Paris (França), Saragoça (Espanha), Republica Dominicana, São Francisco (Estados Unidos da América), Toronto (Canadá) e CineEco de Seia (Portugal).

Segundo a direcção do CineEco, o evento atribui “uma espécie de Óscares para os melhores filmes de temática ambiental”.

Para melhor longa-metragem, o festival de Seia nomeou “A Alma de um Ciclista”, de Nuno Tavares, que venceu o prémio de melhor longa de língua portuguesa na 26.ª edição do CineEco, que decorreu em Outubro.

«O filme segue um grupo de ciclistas “clássicos” descobrindo valores que se vão perdendo na sociedade moderna, como a importância da amizade, da ecologia, da valorização do antigo, da rejeição ao consumismo e outras premissas», informa a organização.

Para melhor curta-metragem, a nomeação do CineEco recaiu em “Vi(r)agens”, de Patrícia Pedrosa, vencedora do prémio curta metragem em língua portuguesa da última edição do festival.

«Esta curta retrata histórias de resiliência e activismo climático, em Portugal e Moçambique. A simplicidade do quotidiano de cada protagonista revela ligações, dependências, viagens e viragens no curso das vidas que se vão conhecendo», explica a direcção do CineEco.

Por fim, foi indicado “Todo o tempo do mundo” (“All the Time in the World”, em inglês), da realizadora canadiana Suzanne Crocker, para filme da década. Segundo a nota, este documentário, que foi vencedor do Prémio Antropologia Ambiental e Grande Prémio da Juventude do CineEco 2015, «retrata a experiência radical de uma família, um casal com três filhos, que viveu nove meses numa cabana na mata gelada do norte do Canadá, sem electricidade, água corrente, comunicações e relógios».

Um total de 31 filmes competem nas categorias de melhor curta-metragem e melhor longa-metragem internacional, e 13 concorrem a melhor longa-metragem da década.

A cerimónia de entrega de prémios do 7.º Award GFN, agendada para o dia 16 de Fevereiro de 2021, será apresentada virtualmente no “site” da plataforma GFN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close