Circuito das Beiras, que se realizou em 1903, vai ser reeditado em Setembro e ligará Coimbra, Castelo Branco e Guarda

O Circuito das Beiras, que se realizou em 1903 e que vai ser reeditado em Setembro, vai ligar Coimbra, Castelo Branco e Guarda, com mais de 400 quilómetros de prova que se quer que seja feita com carros até 1968.

As inscrições para a prova, que vai decorrer entre 14 e 17 de Setembro, abriram hoje, estando previsto um máximo de cerca de 40 equipas, anunciou hoje Luís Celínio, presidente do Clube Escape Livre, entidade que vai organizar o Circuito das Beiras, em parceria com os municípios de Coimbra, Castelo Branco e Guarda.

Em conferência de imprensa realizada na Câmara de Coimbra, o responsável explicou que a organização pretende ter 20 carros fabricados até 1942 e os restantes até 1968 (os anos são definidos pelas classes estipuladas pela Federação Internacional do Veículo Antigo).

«Será uma prova de características únicas», realçou Luís Celínio, explicando que a prova, tal como há 120 anos, começa e acaba em Coimbra, passando por Castelo Branco e Guarda.

Para além dos municípios, o Circuito das Beiras terá também outros parceiros, como o Museu do Caramulo, que garante a primeira inscrição na prova com um Darracq idêntico àquele que venceu a competição em 1903, conduzido na altura por Tavares de Melo, um nome importante na dinamização do automobilismo naquela época no país.

Ainda associados ao evento, estarão o Museo de Historia de la Automoción de Salamanca, Clube de Automóveis Antigos de Castelo Branco e o Automóvel Clube de Coimbra, contando com o piloto Filipe Albuquerque como embaixador da iniciativa.

A prova, dividida em três etapas, terá cerca de 440 quilómetros, atravessando os locais em que há indicação de o circuito ter passado há 120 anos.

Segundo Luís Celínio, a ideia é continuar a realizar esta prova nos próximos anos, já que «tem todas as características para continuar no futuro e promover estas cidades e este território». «Para nós, é extremamente importante reviver o passado, mas projetando a cidade para o presente e para o futuro. Será também uma oportunidade muito especial para as pessoas verem carros antigos», realçou o presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva.

Já o presidente do município da Guarda, Sérgio Costa, considerou que o evento terá capacidade de «perdurar durante muitos e bons anos», após uma primeira reedição do Circuito das Beiras. «Todas as iniciativas que possam surgir para unir as nossas regiões e, particularmente, a região Centro, são importantes, seja no automobilismo ou noutras vertentes», vincou o autarca.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close