Colo Gélido

Eutanásia social no seu auge. Aniquilação de qualquer “subproduto demográfico” que não seja lucrativo. A perturbadora apoquentação em relação a qualquer género de dependentes. Interpretação da vida absurdamente estéril, epidérmica e rasteira.

Compreensão interesseira e em preceitos unicamente económicos e financeiros. Crescentes desequilíbrios sociais e resultados perniciosos. Injunções de um sistema socialmente perigoso e mortífero. Mecanismos de utilidade social adulterados.

Exoneração dos direitos elementares que tinham por obrigação acautelar o bem-estar de todos. Impossibilidade de satisfazer as necessidades primárias. Populações indefesas e óbito social precoce. Estimular a morte de forma espinhosa, embaraçosa e deplorável.

Vértices pouco deleitosos e melodiosos. A labiríntica sociedade moderna e o cunho enorme de indeterminação. Doutrina socioeconómica extraordinariamente excludente. Tenebrosas ondas de morte e marginalização.

A esperança, a confiança e a fé há muito que deixaram de ser as vitaminas. Inexistência de condições mínimas de conforto. Pessoas a viver na rua sem qualquer tipo de auxílio. Vivências estigmatizantes e trincheiras inultrapassáveis.

Ambiente altamente hostil à mudança. Profundas fragilidades e constante exclusão social. Falta de apoio institucional. Estigma da segregação estampado nos rostos.

Reintegração no mundo do trabalho, apenas uma miragem. Penumbras de edifícios emudecidos. A agonia, o silêncio, a solidão, a fome, o frio, os olhos cansados e a roupa rasgada. A hipocrisia e os gabinetes de veludo.

Homens afadigados, pessimistas e escarnecidos. Golpes de impaciência, agastamento e nervosismo no desassossego da privação. Os sonhos transformados em fracassos e numa espécie de contratempo. Luzes ofuscadas pelas trevas da depreciação e forças assombradas.

Suportes inadequados no tempo e no espaço, e elevados índices de descrença. Cidades inundadas de palavras sem honra e de contextos de injúria. Ruas trajadas a sangue, cinismo, morte e fraqueza. Sentimentos desertos e afeições de reduzida beleza.

A necessidade de reformular as políticas sociais e concretizar a verdadeira intervenção social. A configuração curativa tem de estar coligada com a preventiva para diminuir a pobreza e a exclusão. A inexistência de respostas institucionais abrangentes. Homens sem rumo e melancolia infinita.

Labirinto desprovido de carinho, amizade ou amor. Perder a individualidade na parca cadência dos passos. Sonhar e acreditar, infelizmente ainda são contextos desconhecidos para milhares de pessoas. Nuvens carregadas.

Fadiga na atmosfera e sinuosidade no chão. Ter pouca ambição e um carisma asfixiado. Os raios solares e a mais sublime canção afinal não existem. Procurar o destino num mapa rasgado.

Consumir sinais de pecado. O som do silêncio desfila nas ruas escuras. Trazer por dentro o Inverno e os sentimentos que ninguém apazigua. A necessidade de estar atento às propostas ideológicas que ameaçam a humanidade.

Vivemos tempos conturbados e de crise. Pedagogia que promova o espírito de fraternidade. Inquietação, perseguição, insularidade e raiva. Sociedade desigual e desarrumada, tantas famílias destruídas.

Perpetuar o desastre, a derrota e o vento forte. Paisagem desenhada a lágrimas e o brilho que teima em não aparecer. Amuleto do azar, portão sem edifício e esperança esmorecida que se apaga. A luz ao fundo do túnel está cada vez mais distante, colossal desumanidade.

Dúbias referências temporais e espaciais. Corpos de arremesso, barcos à deriva e portos fechados. Rostos de desalento. Esperar ansiosamente pelos raios solares, acalmar a ira e procurar mergulhar na claridade.

PUB

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close