Comandante da PSP da Guarda pede melhores instalações e mais efectivos

O comandante distrital da Polícia de Segurança Pública (PSP) da Guarda, o superintendente Salvado Lopes, reafirmou hoje a necessidade de aquela estrutura policial ser dotada com mais efectivos e com novas instalações.
No discurso proferido na cerimónia do 135.º aniversário do Comando Distrital, realizada em Gouveia, o responsável afirmou que as actuais instalações daquele Comando servem a PSP «desde 1897», quando o seu efectivo «era de 26 profissionais». «Passados 122 anos, a situação pouco se alterou. Continuamos a ter instalações dispersas por cinco locais da cidade [da Guarda], com falta de espaços adequados e sem a necessária funcionalidade», reafirmou.
Como exemplo, Salvado Lopes referiu que o edifício da Esquadra de Investigação Criminal «necessita de uma intervenção destinada a criar melhores condições a todos quantos ali prestam serviço e garantir a necessária confidencialidade e algum conforto aos cidadãos que ali se dirigem, especialmente aos intervenientes processuais no âmbito das investigações criminais».
No seu discurso, o superintendente disse que «a construção de um novo edifício para o Comando [Distrital da PSP], para além de agregar os serviços desconcentrados pela Guarda, possibilita aumentar a dimensão operacional, reduzir custos logísticos e financeiros e principalmente conferir qualidade e dignidade de que se deve revestir um serviço público desta natureza».
Salvado Lopes referiu que «se está a trabalhar» para resolver a situação, reconhecendo o empenho e o esforço da Direcção Nacional da PSP, com a colaboração do município da Guarda.
O comandante da PSP referiu ainda que o Comando da Guarda «é, de todos os Comandos do país, não só o que dispõe do menor número de elementos, mas também um dos mais envelhecidos». «A elevada idade média dos 163 profissionais, situada nos 50 anos, aliada à previsível redução de 34% do efectivo que, em 2019 e 2020, reúnem condições para passarem à pré-aposentação, constituem realidades que carecem de ser revertidas através do reforço de meios humanos e do rejuvenescimento do dispositivo, por forma a garantir um serviço policial de elevada qualidade”, defendeu.
O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, reafirmou a disponibilidade da autarquia para ajudar a encontrar uma solução para as instalações da PSP. O autarca disse à Lusa que o município continua a apontar o espaço do antigo matadouro para acolher o futuro Comando Distrital da PSP.
O director Nacional Adjunto da PSP, Abílio Vieira, que presidiu às comemorações, disse aos jornalistas que as preocupações manifestadas pelo comandante Salvado Lopes «não são novas». Segundo o responsável, o reforço de elementos ocorrerá «com incorporações anuais e regulares para reposição dos efectivos». Quando ao assunto das instalações, disse que transmitirá «à parte responsável» a disponibilidade da autarquia da Guarda para encontrar uma solução.
O presidente do município de Gouveia, Luís Tadeu, que também discursou na sessão realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho, disse que a PSP, naquela cidade, «desenvolve hoje em dia uma função cada vez mais relevante de proximidade com as pessoas».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close