Comunidade das Beiras e Serra da Estrela tem orçamento de 6,9 ME para 2021

A Assembleia da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) aprovou o orçamento para 2021, no valor de 6,9 milhões de euros, que dá continuidade aos «eixos principais» de actuação daquela entidade.

O orçamento e o plano de actividades para o próximo ano foram hoje aprovados, por maioria, pela Assembleia Intermunicipal da CIM-BSE, que reuniu no Teatro Municipal da Guarda.

Segundo Luís Tadeu, presidente da CIM-BSE e da Câmara Municipal de Gouveia, o orçamento para o próximo ano regista um aumento relativamente ao de 2020, que foi no valor de 5,3 milhões de euros.

«É um orçamento de continuidade na execução de eixos principais da Comunidade Intermunicipal, nomeadamente as prioridades vertidas no Pacto da CIM-BSE e tendo em conta competências que foi assumindo, nomeadamente no turismo e na promoção do território», justificou o autarca à agência Lusa.

Luís Tadeu acrescentou que no plano de actuação para 2021 também se insere «uma área relevante, que surgiu em virtude da pandemia, que tem a ver com a questão dos transportes e com a mobilidade entre os concelhos”.

O responsável também disse que a CIM-BSE vai dedicar atenção aos programas de financiamento destinados às empresas e aos empresários.

«A Comunidade Intermunicipal, enquanto entidade no terreno, vai promover o programa de apoio aos empresários e às empresas, apelando à vontade de se candidatarem a esse programa, numa altura tão complicada como aquela que estamos a ultrapassar em resultado da pandemia», justificou.

No próximo ano, aquela entidade vai continuar a apostar na Brigada de Sapadores Florestais, «uma das áreas que vai implicar um reforço de pessoal, uma vez que da equipa de 15 elementos, alguns saíram», segundo Luís Tadeu.

A Brigada de Sapadores Florestais é composta por três equipas de cinco elementos e desenvolve a sua acção nos 15 concelhos da CIM-BSE.

Durante a discussão do plano de actividades e orçamento, o deputado Tomás Martins (Trancoso) disse que votava contra os documentos por considerar que a proposta «não representa as necessidades do território».

A Assembleia Intermunicipal também elegeu hoje, por maioria, com 27 votos a favor, dois contra e um branco, António Miraldes para o cargo de segundo secretário executivo da CIM-BSE.

António Miraldes, que tem exercido funções de coordenador técnico, vai substituir Carlos Martins que renunciou ao lugar para assumir a direcção do serviço distrital da Guarda da Segurança Social.

O presidente da Assembleia Intermunicipal da CIM-BSE, Nuno Soares (Manteigas), disse que no final dos trabalhos em 2021 aquele órgão pretende realizar dois debates, em datas a anunciar, sobre as temáticas do interior e da saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close