Coordenadora da Unidade de Missão considera necessário procurar «soluções para firmar o interior de uma forma positiva e optimista»

O primeiro-ministro escolheu a professora catedrática, Helena Freitas, eleita deputada por Coimbra, para coordenar a Unidade Missão para Valorização do Interior. Este novo organismo terá como coordenador adjunto João Paulo Catarino, até agora presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova.
A deputada socialista já defendeu ser possível contra-riar a tendência de concen-tração das pessoas no litoral do país, sendo necessário «gizar estratégias que promovam o desenvolvimento económico» em várias áreas. Helena Freitas sustenta que muitas cidades do interior oferecem uma boa qualidade de vida e um custo associado inferior em relação às cidades do litoral. A coordenadora da Missão entende que a sustentabilidade da coesão do território é um «imperativo político e ético» e adiantou que se tem assistido a uma «litoralização progre-ssiva do país», sendo evidente, «a tendência para o despovo-amento, envelhe-cimento e empobrecimento daquilo que é entendido como o interior».
A professora catedrática, que já foi vice-reitora da Universidade de Coimbra, sublinhou que para se pensar a sustentabilidade de qualquer contexto territorial, «exige-se o reconhecimento do planeamento em antecipação à decisão política e impõe inteligência e eficiência na utilização e partilha de recursos». Definiu a Unidade de Missão como «uma plataforma agregadora de estratégias criativas, projectos inovadores e um pólo catalisador de vontades que possa fazer a diferença nos territórios do interior». Helena Freitas realçou que existe unanimidade e que «se está perante uma situação de emergência nacional na procura de soluções para firmar o interior de uma forma positiva e optimista».
A deputada socialista Helena Freitas, de 53 anos, deverá tomar posse esta semana, assim que seja concretizada a suspensão do seu mandato na Assembleia da República.
Na cerimónia que assina-lou 100 dias de governo, que decorreu em Idanha-a-Nova, o primeiro-ministro, António Costa, disse ser «necessário redefinir a função da economia do interior para ganhar a batalha da frente peninsular e realçou a importância da Unidade de Missão para o Interior neste combate». «Aquilo que temos hoje de fazer é redefinir a função económica do interior e o país precisa muito que isso aconteça. Se não vencermos essa batalha, não sustentamos sequer os graus de coesão» conquistados até agora, afirmou. Para o governante, a criação da Unidade de Missão para a Valorização do Interior «é da maior importância» para ganhar aquilo a que designou de «frente peninsular» e para o esforço de descentralização que considera necessário fazer nos próximos anos. «Para isso é necessário alinhar as estratégias e que a Unidade de Missão seja capaz de por todo o Governo a trabalhar para este objectivo», disse.
António Costa considerou que a valorização do território «é uma componente essencial» sendo a zona raiana «funda-mental para a afirmação da economia portuguesa no mercado ibérico» e, conse-quentemente, no mercado europeu, advertindo que «só seremos mais coesos se formos capazes de ser mais compe-titivos».
O novo organismo vai funcionar no núcleo central do governo, na dependência do primeiro-ministro. A Unidade de Missão para a Valorização do Interior, criada em Conselho de Ministros em Janeiro, dando cumprimento a um compromisso assumido no Programa do Governo, tem como objetivo criar, imple-mentar e supervisionar um programa para a coesão territorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close