CP faculta transportes alternativos com Linha da Beira Alta cortada

A circulação de comboios na linha da Beira Alta mantém-se suspensa, devido à inundação do túnel de Trezói, mas os passageiros que seguiam no comboio estão já a ser reencaminhados para transbordo, disse à Lusa fonte da CP.
A chuva forte que caiu durante toda a noite e parte da manhã de hoje em toda a região Centro do país inundou o túnel ferroviário do Trezói, uma situação recorrente nesta localidade do concelho de Mortágua, o que levou à suspensão da circulação na Linha da Beira Alta.
Esta é uma linha ferroviária internacional que liga o entroncamento ferroviário da Pampilhosa (Linha do Norte), perto de Coimbra, à fronteira com Espanha (Vilar Formoso), com percurso paralelo ao eixo do rio Mondego. Foi inaugurada em 03 de Agosto de 1882.
Na Linha do Douro, no concelho de Baião (distrito do Porto), os comboios já estão a circular com normalidade, depois de a circulação ter sido suspensa esta manhã devido ao mau tempo, referiu fonte da CP.
Já em Estarreja, na linha do Norte, cuja circulação também está suspensa desde o início da manhã, a CP facultou transportes alternativos e os passageiros já estão a efectuar o transbordo, acrescentou a mesma.
Quanto à reposição da circulação nas Linhas da Beira Alta e do Norte (Estarreja), fonte da Infraestruturas de Portugal disse à Lusa que estão já vários técnicos no local para tentar restabelecer a circulação nas vias férreas.
A Linha da Beira Alta é a mais afectada e “não há estimativa para a reposição da circulação”, uma vez que se trata da “zona mais crítica” devido às inundações.
Relativamente à Linha do Norte, na zona de Estarreja, a circulação deverá ser restabelecida durante a tarde de hoje em, pelo menos, uma das vias, acrescentou fonte da empresa.
De acordo com o balanço efectuado à Lusa ao final da manhã, a Autoridade Nacional da Protecção Civil registou até às 11:00 de hoje 152 ocorrências devido ao mau tempo, a maioria cheias, inundações e deslizamentos de terras.
Do total das ocorrências registadas, 71 são cheias e inundações, 34 são movimentos de massas [deslizamento de terras], 31 são vias obstruídas e 13 quedas de árvores.
Aveiro, com 29 ocorrências, foi o distrito mais fustigado pelo mau tempo, seguindo-se Braga (27 ocorrências), Coimbra (24) e o Porto (23), segundo dados da mesma fonte.
Ao início da manhã de hoje, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) aumentou para dez o número de distritos sob aviso meteorológico laranja, mais seis do que no final do dia de sexta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close