Cresce 6,4% o número de empresas criadas no distrito da Guarda

Nos primeiros oito meses deste ano foram constituídas 27 695 empresas e outras organizações, mais 8 por cento que no período homólogo. No distrito da Guarda, surgiram 234 novas empresas, enquanto que no mesmo período no ano anterior foram 220, verificando-se, assim, um aumento de 6,4 por cento. Os dados constam do recente barómetro da “Informa D&B”.
Depois de um início de ano instável, os últimos quatro meses foram de crescimento no número de constituições. Os encerramentos registam uma descida consistente desde Abril, traduzindo-se numa redução de 1,7% face ao período homólogo entre Janeiro e Agosto de 2017. No distrito da Guarda, encerram no ano passado 83 empresas e este ano 74 empresas, correspondendo a uma diferença de -10,8 por cento.
«Nas novas insolvências [ver nota de rodapé], o ciclo de descida iniciado em 2013 mantêm-se nos primeiros oito meses de 2017 sendo generalizado aos vários sectores e regiões do país», refere a D&B, numa nota à imprensa. No distrito da Guarda, registaram-se este ano 21 insolvências, enquanto que no ano anterior foram 22.
A D&B adianta que, «apesar da tendência irregular verificada nos primeiros quatro meses do ano, o nascimento de empresas e outras organizações cresceu 8,0% até Agosto de 2017, com a contribuição dos meses entre Maio e Agosto». «O crescimento não é homogéneo, estando concentrado em cinco sectores (serviços, actividades imobiliárias, construção, alojamento e restauração e agricultura, pecuária, pesca e caça)», sublinha a nota da empresa, acrescentando que «com uma descida significativa no número de constituições até Agosto destaca-se o sector do retalho, seguido das indústrias transformadoras e o sector gtrossista».
À semelhança de 2016, o distrito de Lisboa mantém a liderança no crescimento das constituições de empresas e outras organizações (+13,8%). Os distritos de Faro e Setúbal também apresentaram um crescimento acentuado nos primeiros oito meses de 2017. O distrito do Porto, segundo maior distrito em empresas, reverte a tendência decrescente de 2016, subindo ligeiramente (+2,5%). Apenas três distritos descem em número de constituições (Aveiro, Viana do Castelo e Leiria).
«Após uma tendência instável no primeiro trimestre, os encerramentos acumulam uma ligeira descida (-1,7%) nos primeiros 8 meses de 2017, traduzindo-se num abrandamento da tendência de 2016 (-6,8%)»refere a D&B. A maioria dos sectores desce ou mantém o número de encerramentos. O distrito de Lisboa (+163 encerramentos) mantém-se em contraciclo com a quase totalidade dos distritos que desce ou mantém o número de extinções. Em destaque, encontra-se o distrito do Porto onde encerraram menos 185 empresas e outras organizações (-11,8%). Nos últimos 12 meses, o rácio de nascimentos/encerramentos foi de 2,4, mantendo-se em valores semelhantes aos verificados nos últimos meses.

Nota sobre insolvências
Entidades com processos de insolvência iniciados no período considerado, com publicação no portal Citius do Ministério da Justiça. O Barómetro INFORMA D&B considera os processos de insolvência de pessoas coletivas. Este Barómetro não analisa os processos de insolvência de empresários em nome individual, de profissionais liberais, ou de particulares.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close