Criado site para profissionais de saúde registarem material em falta

Os profissionais de saúde têm a partir de hoje a possibilidade de registar material de protecção individual contra o novo coronavírus em falta, através de um portal lançado pelo médico e deputado do PSD Ricardo Baptista Leite.
A plataforma foi lançada à meia-noite de segunda-feira, mas está integrada na iniciativa “Portugal, um passo à frente do Coronavírus”, um movimento informal da sociedade civil liderado por Ricardo Baptista Leite.
O objectivo é “ajudar o Governo e o país a atrasar o mais possível o número de novos casos e garantir que não esgotamos a capacidade do Serviço Nacional de Saúde”, disse à Lusa o deputado social-democrata.
“Esta iniciativa pretende responder a necessidades efectivas. Sabemos que 8% dos infectados são profissionais de saúde, recebemos queixas de colegas que reportam faltas de material de protecção individual. Temos que garantir que os profissionais estão protegidos para poderem continuar a ajudar os doentes e a salvar vidas”, afirmou.
Com esta nova plataforma, aberta aos profissionais na linha da frente do combate à pandemia de Covid-19, incluindo bombeiros, o Governo passa a ter a sistematização do que está em falta, para melhor poder responder às necessidades, explicou Ricardo Baptista Leite, mostrando-se disponível para entregar o portal ao Governo para o gerir, caso este assim o entenda.
Este registo do material em falta dirige-se essencialmente ao Governo, que é quem tem as compras em grande quantidade e capacidade para responder às necessidades, repondo material, mas também a quem queira fazer donativos, sejam particulares ou empresas.
O controlo é feito de forma simples, diz o deputado, explicando que começa com um registo do profissional de saúde, que é depois confirmado por uma equipa de voluntários.
A partir desse momento, o profissional de saúde está apto para colocar online a relação do material em falta. Se houver um sinal dos serviços ou da tutela de que a informação é incorrecta, é retirada.
Todos os que reportam falta de material são contactados a cada 24 horas para saber se o problema está resolvido, e assim que esteja, o registo é retirado do portal, explicou, sublinhando que o objectivo é manter o site sempre actualizado.
O novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, já infectou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 17.000. O continente europeu é aquele onde está a surgir actualmente o maior número de casos e vários países adoptaram medidas excepcionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.
Em Portugal, há 33 mortes, mais dez do que na véspera, e 2.362 infecções confirmadas, segundo a Direcção-Geral da Saúde.
Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de Abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close