Demitiu-se o coordenador da Unidade de Missão que prepara a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura

José Amaral Lopes abandona a coordenação da comissão que vai elaborar a candidatura da Guarda a Capital da Cultura 2027 por considerar «não ter condições para continuar» uma vez que o executivo municipal não dava resposta às propostas que fez ao longo do ano. Para além disso, lamenta, «não é respeitada a autonomia da estrutura», numa crítica directa ao vereador da Cultura, Victor Amaral. Em declarações ao TB, adianta que enviou a carta de demissão ao presidente da autarquia no passado dia 30 de Setembro e até hoje ainda ninguém do município o contactou.
José Amaral Lopes, ex-secretário de Estado da Cultura, tinha sido convidado o ano passado pelo então presidente da Câmara, Álvaro Amaro, actualmente a exercer o cargo de eurodeputado. «É muito complicado assumir responsabilidades a um ano de terminar o prazo de candidatura» quando a própria autarquia nem resposta dá às propostas efectuadas.Se entre a escolha da capital europeia para 2027 ocorre seis anos antes é porque «as próprias instituições europeias reconhecem que é uma iniciativa muito complexa», salienta José Amaral Lopes. Na sua sua opinião, perante esta situação «está muito difícil» a Guarda conseguir estar em condições de ver aprovada a candidatura.
O coordenador demissionário considera que «a estratégia está mais que definida mas faltam acções concretas». Questionado se atribui ao vereador da Cultura as responsabilidades sobre a situação, responde que «as propostas são feitas pela comissão mas só podem ser concretizadas se a Câmara decidir. Não havendo isso acho que é claro de quem é a responsabilidade».«Honestamente, tentei mas não fui compreendido», lamenta.
De recordar que foi Álvaro Amaro, enquanto presidente da Câmara, que anunciou, em Junho de 2017, que o Município iria avançar com a candidatura para ser Capital Europeia da Cultura em 2027. A escolha da cidade (de Portugal ou da Letónia) será em 2021.
Para reforçar a candidatura a Capital Europeia da Cultura, dezassete municípios da região da Guarda celebraram um acordo intermunicipal de cooperação. Para além dos 14 municípios do distrito da Guarda (Aguiar da Beira, Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia, Trancoso e Vila Nova de Foz Côa), o projecto inclui as autarquias de Belmonte, Covilhã e Fundão, no distrito de Castelo Branco.
Todos os pormenores na próxima edição do Jornal Terras da Beira.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close